goalpoint-feirense-porto-liga-nos-201617-ratings
Clique para ampliar
goalpoint-feirense-porto-liga-nos-201617-mvp
Clique para ampliar
goalpoint-feirense-porto-liga-nos-201617-45m
Clique para ampliar
goalpoint-feirense-porto-liga-nos-201617-90m
Clique para ampliar

O FC Porto voltou a mostrar que golos são um problema do passado, ao golear o Feirense, por 4-0, com dois golos em cada parte, dias depois de “cilindrar” o Leicester. Com esta vitória, os “dragões” ultrapassam o Sporting e encurtam para um ponto a distância para o Benfica, ficando à espera do resultado” do dérbi.

O Jogo explicado em Números 📊

  • A partida não podia ter começado de melhor forma para o FC Porto: aos quatro minutos, os “dragões” já levavam vantagem no marcador, fruto de uma grande penalidade convertida por André Silva após ser derrubado na área por Ícaro, que viu o cartão vermelho.
  • O golo madrugador do adversário acabou por fazer cair por terra a estratégia do Feirense, que mostrava grandes fragilidades no processo de construção, apresentando uma eficácia de passe de apenas 57% no final do primeiro quarto de hora. Ainda assim, a equipa da casa não virou as costas à luta e acabou mesmo por causar um grande susto a Iker Casillas com um remate de longe de Tiago Silva que embateu no poste.
  • A superioridade do FC Porto tornou-se mais evidente com o passar dos minutos, de forma que, terminada a primeira meia-hora, os “dragões” tinham já 72% de posse de bola e uma eficácia de passe de 84% (contra apenas 53% do Feirense). Foi assim com naturalidade que os portistas ampliaram a vantagem, num remate cruzado de Brahimi após um lançamento executado por Maxi Pereira.

  • Intervalo Os números mostravam a tendência de sentido único que se tinha vivido nos primeiros 45 minutos: o FC Porto levava cinco remates (três deles enquadrados), enquanto o Feirense somava três disparos, nenhum deles à baliza. Os “dragões” tratavam também melhor a bola, apresentando uma posse de bola de 65% e uma eficácia de passe de 83% (contra apenas 62% do adversário). Brahimi era o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 6.7contabilizando um golo, 67% de duelos ganhos e ainda 85% de passes eficazes. Bem mais abaixo na “tabela” surgia o líder do Feirense, Luís Aurélio, com 5.8, graças a um passe para ocasião e 78% de duelos ganhos.

  • A segunda parte começou da mesma forma da primeira. Ou seja, com um golo do FC Porto, desta vez de Marcano, que desviou a bola para o fundo da baliza depois de um cabeceamento ao primeiro poste de Felipe.
  • No fundo, nada mudou no jogo em relação ao primeiro tempo: os “dragões” continuaram a carregar no acelerador e fizeram quatro remates logo nos primeiros 15 minutos. O Feirense, por outro lado, nem por uma vez tinha ameaçado a baliza contrária e apresentava apenas 24% de posse de bola e uma eficácia de passe de 30%.
  • A goleada ganhou contornos ainda mais expressivos aos 64 minutos com o segundo golo da partida de André Silva, que cabeceou nas alturas após um cruzamento teleguiado de Alex Telles.

  • Foi o golpe final na equipa do Feirense, que nunca conseguiu mostrar o seu futebol, terminando o desafio sem um único remate enquadrado e com uma média de posse de bola de apenas 30%. Os “dragões”, por sua vez, voltaram a mostrar que falta de golos é coisa do passado, aproveitando quatro dos oito disparos à baliza efectuados.

O Homem do Jogo 👑

Depois de quatro jogos sem marcar para o campeonato, André Silva voltou aos golos, e logo a dobrar, terminando a partida como o melhor em campo, com 8.1 nos GoalPoint Ratings. Para lá dos golos, o camisola 10 portista fez um passe para ocasião, acertou 93% dos passes que fez e venceu 90% dos duelos que disputou. Tudo isto apenas dias depois de ter bisado frente ao Leceister, para a Liga dos Campeões.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Brahimi 8.1 – O extremo argelino parece (finalmente) ter agarrado um lugar no onze portista. Marcou um golo, fez dois passes para ocasião e disputou 17 duelos, mais do que qualquer outro jogador da sua equipa. Também ajudou na defesa, com cinco desarmes.
  • Felipe 7.4 – O espanhol esteve em destaque na defesa, somando cinco desarmes e oito alívios, e ainda assistiu Marcano para o terceiro golo do FC Porto.
  • Herrera 6.0 – Esteve pouco mais de meia-hora em campo mas deixou bons indicadores. Acertou 90% dos passes que fez, venceu os três duelos que disputou e esteve até perto de marcar.
  • Vaná 5.8 – Apesar dos quatro golos sofridos, foi o melhor em campo do Feirense, impedindo que o resultado ficasse (ainda) mais expressivo com quatro defesas ao todo.
  • Ícaro 3.3 – Contabilizou apenas três minutos em campo e foi expulso sem sequer tocar na bola.