GoalPoint-Maritimo-Porto-LIGA-NOS-201617-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Maritimo-Porto-LIGA-NOS-201617-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Maritimo-Porto-LIGA-NOS-201617-45m
Clique para ampliar
GoalPoint-Maritimo-Porto-LIGA-NOS-201617-90m
Clique para ampliar

O FC Porto arrisca-se a ver cair a luta pelo título, depois de empatar a zero no terreno do Marítimo, que volta a “roubar pontos” em casa a um dos “grandes”. A equipa “azul-e-branca” até esteve em vantagem, graças a um golo de Otávio, mas não teve reacção perante a forte segunda parte do Marítimo, coroada com um golo de Djoussé, que saltou do banco para voltar a marcar aos “dragões”.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Arrancada “a todo do gás” da equipa do FC Porto, que levava já 68% de posse de bola e três cruzamentos nos primeiros 15 minutos. O Marítimo mostrava enormes dificuldades para sair a jogar, tendo acertado apenas metade dos passes efectuados neste período.
  • A equipa portista chegou ao golo pouco antes da meia-hora, num remate rasteiro de Otávio após um mau alívio da defesa insular. Primeiro golo da época do brasileiro no campeonato, o terceiro se contabilizarmos todas as competições oficiais.

  • À entrada para os últimos dez minutos da primeira parte, André André dava nas vistas no capítulo da distribuição, com 27 passes (25 deles eficazes) e 34 toques na bola. Soares, por sua vez, continuava muito apagado: apenas nove passes (seis dos quais certos) e já duas faltas cometidas.

  • Intervalo O FC Porto chegou ao final dos 45 minutos a liderar em vários aspectos do jogo: mais remates enquadrados (2-0), maior posse de bola (56%-44%) e melhor eficácia de passe (78%-68%). Sem surpresas, Otávio liderava os GoalPoint Ratings, com7.3, e não era só pelo golos O médio brasileiro somava ainda dois dribles eficazes em quatro tentativas, 16 duelos disputados e três faltas sofridas. No entanto, nem tudo corria de feição a Otávio, que acertara apenas 59% dos seus passes, sendo esta a segunda pior percentagem dos “azuis-e-brancos”. Do lado do Marítimo, Zainadine 6.0 era o homem em destaque, com nove acções defensivas, incluindo quatro intercepções.
  • Excelente início de segunda parte do Marítimo, com 61% de posse de bola nos primeiros 15 minutos e já dois remates, embora nenhum deles de forma enquadrada.

  • Com o passar dos minutos, a posse de bola foi-se equilibrando, mas equipa insular acabaria mesmo por marcar, aos 69 minutos, por Djoussé, que acabara de entrar para o lugar de Edgar Costa. O avançado camaronês saltou mais alto do que dois defesas portistas e cabeceou para o fundo da baliza, depois de um canto batido por Patrick Oliveira. Segundo golo da época de Djoussé, sendo que ambos foram apontados… ao FC Porto.
  • Volvidos 35 minutos desde o início da partida, o FC Porto ainda não tinha feito qualquer remate enquadrados com a baliza, embora já levasse cinco disparos, tantos quanto o adversário. A entrada de Corona mexeu com o ataque portista, com o jogador mexicano a contabilizar dois passes para ocasião em apenas dez minutos.

  • A equipa portista terminou a segunda parte com apenas um remate enquadrado, que surgiu já ao cair do pano, num cabeceamento de André Silva que Charles agarrou sem dificuldade. A fraca pontaria de ambas as partes acabou por ser nota dominante nesta partida: dos 24 remates efectuados, apenas quatro foram na direcção das balizas.

O Homem do Jogo 👑

Esteve apenas 70 minutos em campo, mas foi tempo suficiente para deixar a sua marca. Otávio deixa a Madeira com o título de homem do jogo GoalPoint Ratings, com nota 7.0. Além do golo marcado, no único remate que fez, o brasileiro somou dois dribles eficazes, quatro entradas na área adversária, 18 duelos disputados e oito recuperações de posse. Embora tenha estado mais certeiro na segunda parte, Otávio terminou a partida com apenas 69% de passes eficazes, o que, ainda assim, não lhe retirou o “troféu”.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Felipe 6.4 – Fez uma exibição de grande nível. Recuperou a bola dez vezes e somou 15 acções defensivas.
  • Djoussé 5.9 – Tocou na bola apenas sete vezes, mas deixou a sua marca no jogo com o golo apontado. Venceu dois dos três duelos que disputou e apenas falhou um dos quatro passes que fez.
  • Corona 5.6 – Vinte minutos bastaram para deixar o seu “perfume” em campo. Acertou 11 dos 14 passes que fez, sendo que dois deles resultaram em ocasiões de finalização.
  • Fernando Fonseca 5.0 – Foi o autor de um dos dois remates enquadrados do FC Porto. A defender, esteve pouco interventivo, conseguindo apenas uma intercepção e um alívio.
  • Soares 4.6 – Foi de longe o “dragão” mais apagado. Nenhum dos três remates que fez foi enquadrado e desperdiçou uma ocasião flagrante. Perdeu a bola 18 vezes e cometeu seis faltas.

Banner_UNICEF_IRS-1