GoalPoint-Porto-Belenenses-LIGA-NOS-201617-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-Belenenses-LIGA-NOS-201617-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-Belenenses-LIGA-NOS-201617-45m
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-Belenenses-LIGA-NOS-201617-90m
Clique para ampliar

OFC Porto subiu à condição ao primeiro lugar do campeonato ao vencer o Belenenses por 3-0, numa partida de sentido único desde o apito inicial. Danilo Pereira deu a vantagem aos “dragões” ainda durante a primeira parte, com Soares e Brahimi a fechar com chave de ouro um triunfo folgado, que coloca pressão sobre o Benfica para a deslocação a Moreira de Cónegos.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início forte da equipa do FC Porto, com 63% de posse de bola nos primeiros 15 minutos e já um remate, de autoria de Soares, ao lado da baliza de Cristiano. Pouco depois, surgiria o primeiro (dos poucos) aviso do Belenenses, um disparo de Diogo Viana de fora da área que Casillas encaixou sem problemas.
  • Passados 30 minutos, o FC Porto continuava a liderar na posse de bola (66%) e na eficácia de passe (85% contra 70%), embora ambas as equipas tivessem o mesmo número de remates enquadrados (um). Danilo Pereira davas nas vistas a defender, com cinco duelos ganhos em outros tantos disputados, enquanto Maxi Pereira e Alex Telles já levavam dois passes para finalização cada.

  • O 1-0 acabaria por surgir apenas quatro minutos depois, da autoria de Danilo Pereira, a rematar para o fundo da baliza na sequência de um passe de André Silva com a cabeça. Respirava-se de alívio nas bancadas do Dragão, depois de um período inicial sem grandes ocasiões de perigo.

  • Intervalo O FC Porto chegou ao intervalo com 66% de posse de bola e com sete remates efectuados, três dos quais à baliza, contra três do Belenenses, apenas um dos quais enquadrado. Sem surpresas, Danilo Pereira liderava os GoalPoint Ratings ao intervalo, com 6.5, ele que, para além do golo apontado, acertara 88% dos 40 passes efectuados e continuava com eficácia máxima nos duelos disputados. O melhor dos visitantes era o defesa Edgar Ié 5.4, com quatro acções defensivas e outras tantas recuperações de posse.
  • A segunda parte começou a um ritmo algo lento, com apenas dois remates nos primeiros 15 minutos, ambos pertencentes ao FC Porto. A equipa “azul-e-branca” continuava a comandar as operações, perante um Belenenses sempre tímido na resposta.
  • Aos 70 minutos, surgiu o 2-0 com naturalidade, num cabeceamento certeiro de Soares após uma brilhante jogada individual de Corona, acabado de entrar, perto da linha de fundo. Momentos depois, o FC Porto faria o seu terceiro golo da tarde, de grande penalidade batida por Brahimi depois de o internacional argelino ter sido derrubado por Domingos Duarte dentro da área.

  • À entrada para os últimos dez minutos, Maxi Pereira e Alex Telles continuavam a ser os jogadores portistas com mais passes para finalização (três). Apesar do golo marcado, nem tudo corria de feição a Brahimi, que liderava a partida no número de posses de bola perdidas (21).
  • A partida terminou com apenas dois toques de bola na área do FC Porto por parte de jogadores do Belenenses, o que demonstra bem as dificuldades que a equipa lisboeta sentiu. Dos cinco remates que os homens de Quim Machado fizeram, apenas um foi de dentro da área.

O Homem do Jogo 👑

Mais um golo, mais uma grande exibição. Depois de dois encontros para o campeonato “em branco”, Soares marcou o golo que deu a tranquilidade aos jogadores do FC Porto, numa partida em que fez cinco remates, dois dos quais enquadrados com a baliza. O antigo jogador do Vitória de Guimarães deu ainda nas vistas com um passe para finalização e quatro entradas na área adversária, terminado a partida com um GoalPoint Ratings de intervalo, com 7.1.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Maxi Pereira 6.9 – Nova exibição a um bom nível do lateral uruguaio, com três passes para finalização, dois cruzamentos eficazes, 86 toques na bola e quatro desarmes. Por vezes não se dá por ele mas os números não falham.
  • Danilo Pereira 6.8 – Fez um golo, venceu oito dos nove duelos que disputou (eficácia de 100% nos duelos aéreos), efectuou o máximo de passes da sua equipa, 69, e ainda marcou um golo. Nada a apontar.
  • Brahimi 6.7 – Fez dois remates, ambos enquadrados, e marcou um golo. Foi o responsável por vários máximos portistas, incluindo dribles eficazes (seis), duelos ganhos (12) e faltas sofridas (cinco).
  • Miguel Rosa 5.2 – Em apenas 14 minutos conseguiu a segunda nota mais alta da sua equipa. Fez um passe para ocasião e entrou duas vezes na área adversária.
  • Diogo Viana 3.7 – O pior jogador em campo. Foi desarmado três vezes, controlou mal a bola em quatro ocasiões, perdeu a posse 17 vezes e concretizou apenas duas acções defensivas.

Opel Programa Ecotrade

Resumo💻