goalpoint-porto-chaves-liga-nos-201617-ratings
Clique para ampliar
goalpoint-porto-chaves-liga-nos-201617-mvp
Clique para ampliar
goalpoint-porto-chaves-liga-nos-201617-45m
Clique para ampliar
goalpoint-porto-chaves-liga-nos-201617-90m
Clique para ampliar

Uma segunda parte de grande nível permitiu ao FC Porto reagir à desvantagem no marcador e dar a volta ao Desportivo de Chaves. O triunfo por 2-1 coloca os “dragões” a um ponto do líder SL Benfica, embora com mais um jogo disputado. Danilo Pereira esteve em plano de destaque.

O Jogo explicado em Números 📊

  • O Porto entrou “mandão”, com 81% de posse frente a um Chaves que, apesar de tudo, deu sinais do porquê da boa temporada que vinha fazendo: dois remates (contra um dos da casa) e oito duelos individuais ganhos (contra sete) nos primeiros dez minutos. Os flavienses mostravam que não vinham com espírito natalício.
  • Os sinais de atrevimento visitante seriam confirmados aos 12 minutos, com um remate de Rafael Lopes que, com alguma sorte (ressalto em Danilo), só parou dentro da baliza de Iker Casillas. Os visitantes somavam o terceiro remate, dois enquadrados contra apenas dois (zero à baliza) dos “dragões”.
  • Facilidades só mesmo na posse, que pelos 25 minutos continuava alta para os “dragões”, em 71%. Porque em remates registavam-se 6-3 para os portistas, mas com dois enquadrados para os homens de Chaves, contra apenas um dos da casa.
  • À meia-hora, Danilo Pereira somava 21 passes, todos certos, sendo três deles longos. Rafael Lopes tinha já disputado 13 duelos (oito aéreos), mais quatro que o segundo maior interveniente nestes lances, precisamente Danilo, e tinha ganho seis.

  • Intervalo O Chaves, orientado pelo treinador-interino Ricardo Soares, chegou ao descanso a ganhar, e pode dizer-se com justiça. O FC Porto teve 68% de posse de bola, mas em remates os flavienses foram mais eficazes: sete disparos contra oito dos portistas, mas quatro enquadrados, para um dos homens da casa. Valeu Casillas, autor de três defesas importantes. O melhor nos primeiros 45 minutos foi o autor do golo, Rafael Lopes, com um GoalPoint Rating de 6.8. O avançado esteve muito activo, pois fez ainda um passe para ocasião e disputou 16 duelos (ganhou metade), 11 deles em lances pelo ar. Danilo, porém, destacava-se com os 100% de 34 passes certos.
  • André Silva fez golo aos 51 minutos, anulado, numa altura em que o Porto pressionava intensamente. Nesta fase brilhava Maxi Pereira, com três passes para ocasião, seis de oito cruzamentos eficazes, 11 bolas colocadas na área contrária, 13 duelos, nove deles ganhos. Mas o empate surgiu do flanco contrário, com Alex Telles a cruzar, aos 71 minutos, para o primeiro golo de Depoitre na Liga NOS.

  • O segundo surgiu aos 77′, com Danilo a rematar de longe para um grande golo. Estava consumada a reviravolta, mais do que merecida: um total de 19 remates (11 no segundo tempo), seis enquadrados – 9-5 para o Chaves -, sendo 12 realizados dentro da área contrária, 71% de posse, 20 cruzamentos de bola corrida.

  • Até final, destaque apenas para a expulsão de Patrão, por vermelho directo, já em período de descontos. Final emocionante de jogo com um Porto que justificou os três pontos pela boa segunda parte.

O Homem do Jogo 👑

Que grande jogo de Danilo! O médio personificou o espírito do FC Porto, em especial no segundo tempo, numa mistura de capacidade de luta e qualidade. Terminou no comando do GoalPoint Rating, com 7.8, fruto do golo que marcou, mas também de outros números de relevo. Falhou apenas quatro dos 68 passes que realizou, acertou os sete passes longos, ganhou dez de 19 duelos individuais e recuperou oito vezes a bola. Um todo-o-terreno.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Óliver Torres 7.1 – O espanhol ficou em segundo no nosso rating e, tal como Danilo, esteve excelente no passe. Falhou apenas seis de 65 entregas, fez três passes para ocasião, uma flagrante, e registou uma assistência.
  • Maxi Pereira 7.1 – Perdeu para Óliver apenas por centésimas. Foi dos melhores do Porto, assumindo preponderância na melhor fase da equipa. Três passes para ocasião, nove cruzamentos (seis eficazes), 12 entradas na área contrária e nove de 14 duelos ganhos são números de respeito, e ainda fez seis desarmes.
  • Rafael Lopes 6.8 – Fez o golo do Chaves e deu muito trabalho ao FC Porto na primeira parte – saiu ao intervalo. Destaque para os 11 duelos individuais que disputou em 45 minutos, dos quais ganhou cinco, todos em lances com Danilo.
  • Iker Casillas 6.1 – Acabou por ter uma segunda parte mais descansada, mas no primeiro tempo foi fundamental, ao realizar três defesas que mantiveram o Porto no jogo. Acabou com quatro e com a certeza de que está a atravessar um bom momento.
  • Brahimi 6.3 – Esteve endiabrado, causou muitos problemas à defensiva flaviense, mas esteve menos inspirado. Ainda assim teve sucesso em cinco de nove tentativas de drible, fez cinco remates, mas apenas um enquadrado, dois passes para ocasião, entrou 12 vezes na área contrária e ganhou 11 de 19 duelos.