Ajornada 32 deixou o prenúncio de decisão do título e definiu uma descida (Nacional). Mas para lá dos factos marcantes, quem foram os jogadores que fizeram a diferença? Eis o “onze” da semana.

Confira também os “tops” da jornada! (link)

GoalPoint-Ratings-XI-Jornada-32-Liga-NOS-201617-infog
Clique para ampliar

Cássio (Rio Ave) 7.7 – Apesar da derrota, tudo fez para evitar o (único) golo com que o Benfica bateu o Rui Ave. Pelo caminho somou sete defesas e regressou ao “onze” da jornada, a sua terceira presença.

Dinis Almeida (Belenenses) 6.6 – Marcou o golo da reviravolta em Alvalade, somando-o a uma exibição defensiva segura, na qual totalizou sete alívios e 83% de passes certos.

Ícaro (Feirense) 7.8 – Muito trabalho e qualidade na vitória do Feirense em Paços. Marcou o golo decisivo e ainda defendeu a vantagem, à custa de oito alívios, duas intercepções e outros tantos desarmes. Ganhou quatro dos seis duelos que travou.

Nélson Semedo (Benfica) 6.7 – Mais um jogo em alta em Vila do Conde, quando se torna cada vez mais provável que estes sejam alguns dos últimos minutos de “águia” ao peito. Somou seis desarmes, um remate, um passe para finalização e 74% de passes certos.

Konan (V. Guimarães) 6.8 – O lateral fez uma exibição generosa na vitória vimaranense sobre o Arouca. Não participou no golo, mas ofereceu três passes para finalização, tantos quantos os cruzamentos e dribles eficazes que acumulou, somando ainda quatro intercepções e dois desarmes.

Mattheus (Estoril) 8.4 – O brasileiro foi o homem da jornada e a sua qualidade já não surpreende. Desta feita não só marcou o golo (em três remates) da reviravolta que garantiu matematicamente a permanência estorilista, como cumpriu no passe (91% de entregas certas, duas delas para finalização) e nas tarefas defensivas (11 recuperações de bola e três desarmes). “Herdeiro” polivalente.

Pizzi (Benfica) 8.0 – Se Jiménez foi o homem-golo, já Pizzi foi, como é hábito, o “homem-trabalho” na vitória sobre o Rio Ave. O jogo passa sempre por ele (93 toques na bola) e normalmente bem (86% de passes certos). Desta feita até a defender esteve em alta (sete desarmes).

Renan Bressan (Chaves) 7.2 – Regressou a meio da Liga a Portugal e já lidera em golos de fora da área (4) e golos de livre directo (3, a meias com Iuri Medeiros). Marcou mais um e dos bons, no Estoril, dando a vantagem ao Chaves que viria a cair na segunda parte. Foi o flaviense que mais rematou (3) e desarmou (5). Assim é fácil perceber o porquê de sair de campo merecendo quase sempre algo mais do que o resultado final por vezes lhe oferece.

Edson Farias (Feirense) 7.8 – Segunda presença de um Feirense em alta neste “onze”, Edson Farias esteve muito activo na vitória em Paços, tanto a atacar (dois remates, três passes para finalização, outros tantos cruzamentos e dois dribles) como a defender (quatro desarmes e sete recuperações), o que fez dele MVP da partida, mesmo sem intervenção no golo.

Murillo (Tondela) 7.3 – O Tondela tenta nova fuga à despromoção e, pelos vistos, pode contar com o emprestado Murillo (pelo Benfica): uma assistência em três passes para finalização, 92% de passes certos e um penálti sofrido, numa vitória tangencial mas que continua a dar esperança à equipa.

Raúl Jiménez (Benfica) 7.3 – Só jogou 657 minutos nesta Liga, mas já leva seis golos, tendo aliás a segunda melhor média de tentos a cada 90 minutos (0,82, batido apenas por Bas Dost) e já apareceu neste “onze” três vezes. Em Vila do Conde marcou o golo decisivo que pode ter iniciado o sprint final do Benfica rumo ao título, num de dois remates que fez, ambos enquadrados, tendo ainda oferecido um passe para finalização. Decisivo nas horas… decisivas.

São estes os melhores da 32ª jornada da Liga NOS 16/17, parabéns!

Confira, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na nova tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga NOS! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”.

LIGA NOS | J32STATGPRMVP
2-1
2-2
0-1
1-1
1-3
2-1
1-0
0-1
2-1