Há vida para lá dos três “grandes” no campeonato português, ao contrário do que muitos insistem em apregoar. Depois de termos identificado jogadores que têm estado em evidência (expressa nos números) no Sporting, FC Porto e Benfica, olhámos para os protagonistas dos restantes emblemas do principal escalão de futebol nacional. O método, esse, tem como base o nosso algoritmo, GoalPoint Ratings.

Tal como nos anteriores casos, considerámos apenas jogadores que tenham cumprido mais de metade do total de minutos de jogo disputados no campeonato (451) até este momento. Segue-se, então, o “top 10” de jogadores para lá do universo dos candidatos:

goalpoint-top-goalpoint-ratings-extra-grandes-j10-liga-nos-201617-infog
Clique para ampliar

Bem-vindos ao “reino” do Minho

Com Vitória de Guimarães e Sporting de Braga a protagonizarem excelentes campanhas na Liga, não é de admirar que quatro dos primeiros cinco jogadores deste top morem no Minho, com um “late bloomer” à cabeça. Wilson Eduardo, produto de Alcochete que nunca se chegou a afirmar totalmente em Alvalade, lidera de longe esta tabela, com 6.81. O avançado português, que, recorde-se, foi o Jogador do Mês Goalpoint de Setembro e continua a ser o melhor jogador português da Liga até ao momento ganhou protagonismo no ataque arsenalista com a saída de Rafa e já leva três golos no campeonato – mais dois do que em 15/16 e já ofereceu também duas assistências.

No duelo directo com Pedro Santos, o segundo classificado deste ranking, Wilson Eduardo perde em números absolutos em termos de passes para ocasião (17 contra 19) e golos marcados (três contra cinco), mas leva vantagem por ter menos minutos disputados, o que lhe confere uma melhor média. Para além disso, o antigo jogador do Sporting remata mais do que o companheiro de equipa – são 3,4 disparos por jogo contra 2,5 de Pedro Santos.

Battaglia, o jogador com o quarto melhor rating, é e não é um “outsider” do Minho. Confuso? É que o médio argentino está emprestado pelo Braga ao Chaves, no qual tem assumido papel de destaque, confirmado o estatuto de aposta que lhe havíamos conferido no início da época. Para além de apresentar uma eficácia nos duelos aéreos ganhos de 61% e um total de 2.7 desarmes por jogo, Battaglia já mostrou que não tem medo de tentar a sua sorte, sendo actualmente o melhor marcador da sua equipa, com três golos.

A fechar este “top 5” temos aquele que é o melhor marcador do campeonato, Moussa Marega, que tem uma média de 6.27. À partida, a pontuação do jogador do Vitória poderia suscitar estranheza, mas é preciso salientar que, na maioria das vezes, o papel do gigante maliano não vai muito além dos golos que marca, que o colocavam entre os melhores da Europa no final do mês de Outubro. O seu rating é também penalizado pelos muitos golos fáceis que desperdiça, mas desses não reza habitualmente a história, a não ser a nossa. Esta época, Marega ainda não conseguiu atingir os 8.00 no GoalPoint Ratings, nem mesmo quando apontou um “hat-trick” ao Rio Ave. Por quatro vezes, o possante avançado ficou-se por uma nota inferior a 6, sendo que o descalabro disciplinar 3.7 frente ao Nacional contribuiu, e muito, para a média pontual que leva neste momento.

Mas como nem só de golos marcados vive o futebol, queremos destacar a excelente temporada que está a fazer Ricardo, guarda-redes do Chaves que leva um GoalPoint Rating de 6.10. O experiente guarda-redes, que integra o melhor XI português do campeonato até ao momento, apresenta uma eficácia de defesas ligeiramente superior a 79%, que o coloca entre os melhores da prova e ajuda a explicar o facto de o Chaves ser uma das equipas menos batidas em Portugal. E ainda está bem secundado por António Filipe, o herói flaviense da Taça.

Com a mesma pontuação de Ricardo temos Dyego Sousa, o melhor marcador do Marítimo, com três golos e uma média de um tento a cada 179 minutos no campeonato. Um registo que deixa os adeptos maritimistas apreensivos, numa altura em que o castigo de nove meses ao avançado brasileiro se encontra suspenso. Conseguirão os insulares manter-se em pé caso percam Dyego Sousa, que leva metade dos golos apontados pela sua equipa na Liga?

Confira também o comparativo estatístico completo entre Benfica, Porto e Sporting após as 10 primeiras jornadas da Liga NOS 16/17 (link)!