O Benfica acertou uma vez com a baliza e marcou. Assim se resume a noite de eficácia que permite aos “encarnados” visitarem Dortmund com reais ambições de avançar para os quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Sorte ou engenho, não existem campeões sem um pouco de ambos, pelo que o Benfica terá de repetir a fórmula no Signal Iduna caso queira sonhar com algo mais. Se os números comparados já não eram simpáticos, menos o são após uma primeira mão, na qual a “águia” retirou o melhor (resultado) de um jogo desequilibrado. Eis a “radiografia” prévia ao jogo de amanhã:

Clique para ampliar

Em boa hora a estatística destaca Ederson como o benfiquista com melhor desempenho até agora na prova, pois prevê-se que a sua inspiração seja fundamental no jogo desta quarta-feira, mesmo tendo em conta que os germânicos surgem desfalcados: Reus lesionou-se a dias do jogo e o melhor alemão da fase de grupos, Mario Götze, anda a contas com um misterioso “problema metabólico”.

Leia o que escrevemos sobre o Benfica – Dortmund da primeira mão (link)

No entanto, armas não faltam aos alemães, perante um Benfica que irá provavelmente lançar homens no “onze” com poucos ou nenhuns minutos na prova, uns por necessidade, outros por opção. A diferença de produção individual fica bem expressa nos GoalPoint Ratings acumulados dos “onzes” que prevemos para amanhã:

GoalPoint-Dortmund-Benfica-Antevisao-XIs-UCL-201617-infog
Clique para ampliar

Mas será o panorama assim tão negro para o Benfica? Nem por isso: os alemães encaixaram até agora tantos golos (10) como o campeão português na prova. Saiba o Benfica aproveitar as “abertas” e fechar o “castelo” na defesa e pode ser capaz de afastar a equipa mais concretizadora da fase-de-grupos. Ah e claro… um pouco de sorte é fundamental nesta fase.

Na próxima página: o que escrevemos antes do duelo da primeira mão