O Barómetro GoalPoint está de regresso, após a 20ª jornada, duas rondas depois do último balanço de desempenho de Sporting, Benfica e Porto e… há novas mudanças de liderança em alguns indicadores, com uma conclusão rápida evidente: as duas equipas que melhor rematam seguem na frente, separadas por dois pontos, e isso parece fazer mais a diferença.

Eis os números após a 20ª jornada:

Barómetro 2015/16 - Jornada 18Barómetro 2015/16 - Jornada 18
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

“Dragão” certinho… colhe poucos frutos

Apesar do “tumulto técnico” vivido nos últimos tempos, o FC Porto atinge a 20ª jornada não só com menos golos sofridos (12, contra 14 dos rivais), como também permitindo menos remates enquadrados e travando até mais disparos dirigidos à sua baliza (Casillas parou até agora 71%), mas o feito de pouco vale ao “dragão” na hora de observar a classificação. Será que um bom desempenho defensivo tem, afinal, menos peso na corrida ao título 2015/16? Será cedo para conclusões mas resulta claro que aos “azuis-e-brancos” falta melhorar claramente no capítulo da concretização (já que lideram também no capítulo da criação de oportunidades) se quiserem ainda discutir o título.

“Águia” letal, “leão” em crescendo (ofensivo)

As últimas duas jornadas não mudaram muito no que toca aos indicadores “encarnados”. A equipa de Rui Vitória continua a ser a que melhor aproveita os remates que efectua (16,5% convertidos em golo) e lidera também em passes para ocasião, mas vê um Sporting, que brilhou quase sempre pela menor permissividade defensiva, aproximar-se e até suplantar o Porto em taxa de concretização, igualando neste momento a “águia” no número de remates enquadrados com a baliza, algo inédito nos “leões”. Problema? A defesa. Os “leões” encaixaram seis golos nas últimas três jornadas e isso faz-se sentir nos indicadores defensivos, com a taxa de remates travados por Rui Patrício a cair significativamente, ainda que, curiosamente, o Benfica tenha permitido até agora mais três disparos enquadrados que o líder.

Por fim, “leões” e “águias” equiparam-se agora também no número de faltas sofridas. Os adeptos “old school”, devotos do clubismo, tenderão a alimentar as teorias de conspiração tradicionais do futebol português. Já nós preferimos concluir o simples, que é normalmente o correcto: quem mais e melhor ataca também sofre, necessariamente, mais faltas que os demais.

Aguardemos então pela jornada 22 para perceber como está o Barómetro GoalPoint após mais duas rondas de prova!

Confira também as actualizações anteriores do Barómetro GoalPoint neste link.