goalpoint-belenenses-sporting-liga-nos-201617-ratings
Clique para ampliar
goalpoint-belenenses-sporting-liga-nos-201617-mvp
Clique para ampliar
goalpoint-belenenses-sporting-liga-nos-201617-45m
Clique para ampliar
goalpoint-belenenses-sporting-liga-nos-201617-90m
Clique para ampliar

O Sporting sofreu para bater o Belenenses, por 1-0, chegando ao golo da vitória já no período de descontos. Com este triunfo, os “leões” mantêm a diferença de oito pontos para o líder, Benfica, e regressam às vitórias para o campeonato, após duas derrotas consecutivas.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Entrada bastante forte da equipa do Sporting, que aos dez minutos dominava a posse de bola (83%) e já tinha efectuado dois disparos, um deles à baliza defendida por Joel Pereira. A formação leonina tinha ainda 67% de duelos ganhos.
  • Passados 25 minutos o Belenenses ainda não tinha feito qualquer remate e apresentava uma eficácia de passe de apenas 58%. Se juntarmos a este último dado o facto de o jogador dos “azuis” com mais passes ser o guarda-redes Joel Pereira, então percebemos o quão confortável a equipa de Quim Machado se sentia a gerir o nulo.
  • Curiosamente, a primeira ocasião de golo acabou por pertencer ao Belenenses, num lance de contra-ataque de três para um. A enorme cerimónia demonstrada pelos atacantes da casa permitiu a intervenção de Beto e manteve o marcador inalterado.

  • Intervalo Como seria de esperar, o Sporting terminou a primeira parte a liderar vários indicadores, desde logo o número de remates – sete ao todo, dois deles enquadrados, contra apenas dois do adversário, um dos quais à baliza. Os “leões” conseguiram 69% de posse, apresentaram uma eficácia bastante superior (86% contra 66% do adversário) e tiveram mais do dobro dos cantos dos “azuis”. O único aspecto que pendia a favor do Belenenses era a percentagem de duelos ganhos (53% para os da casa), o que ajudava a explicar o resultado. Embora nem sequer fosse o jogador do Sporting com mais toques na bola ou passes, Gelson Martins era o melhor em campo com 6.3 no  GoalPoint Ratings, fruto de um passe para ocasião, 85% de passes certos e 67% de duelos ganhos.
  • A segunda parte arrancou com um remate perigoso de Alan Ruiz, a obrigar Joel Pereira a mais uma boa defesa, a sua terceira da noite.
  • O Sporting continuou por cima no jogo e esteve à beira do golo aos 66 minutos, quando Adrien viu Joel Pereira e a barra negarem-lhe o golo na transformação de um livre directo.
  • Esperava-se o golo do Sporting, mas foi então que o Belenenses cresceu no jogo, impulsionado pela entrada de Gerso. Por duas vezes, os “azuis do Restelo” estiveram muito perto de marcar, mas o sonho esbarrou no poste da baliza dos “leões” e nas mãos de Beto.

  • À entrada para os últimos dez minutos o Sporting tinha 58% de posse de bola, um número consideravelmente inferior à sua percentagem da primeira parte. Acabou por ser já ao cair do pano que a equipa leonina chegou ao golo, num remate rasteiro de primeira de Bas Dost após um cruzamento da esquerda de Joel Campbell. O tento acabou por salvar a exibição do holandês, que ainda não tinha feito nenhum remate enquadrado até aí, e deu uma enorme alegria ao treinador Jorge Jesus, que pode, assim, respirar de alívio.

O Homem do Jogo 👑

Beto rendeu o habitual titular na baliza do Sporting, Rui Patrício, e terminou a partida como o melhor em campo, com 6.5 no  GoalPoint Ratings. O experiente guarda-redes fez quatro defesas ao todo e, embora elas não tenham sido particularmente vistosas, foram importantes para manter os “leões” na discussão do resultado até ao fim. É que foram realizadas na sequência de remates dentro da grande área leonina.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Douglas 6.5 – Substituiu Rúben Semedo no centro da defesa e não se deu mal. Foi o jogador do Sporting que mais toques e passes fez, e foi ainda o autor de 15 acções defensivas.
  • Yebda 6.1 – O médio argelino somou quatro desarmes e venceu oito dos 15 duelos que disputou. Pouco depois de sair o Belenenses sofreu o golo, o que diz muito sobre a sua exibição.
  • Joel Pereira 5.8 – Manteve o nulo o mais que pôde com quatro boas intervenções, acabando por ser batido já perto do final, num lance em que ficou livre de culpas.
  • Campbell 5.5 – Esteve pouco mais de meia-hora em campo mas deixou o seu perfume no jogo. Fez dois passes para ocasião, um deles resultante em golo, e disputou oito duelos, vencendo três deles.
  • Coates 5.5 – Esteve algo longe do seu nível habitual. Venceu apenas 38% dos duelos que protagonizou, 25% se tivermos apenas em conta duelos pelo ar. O único dado positivo é o facto de ter sido o jogador leonino com maior percentagem de passes certos (91%).