Clique para ampliar
Clique para ampliar
Clique para ampliar

O Sporting entrou da melhor forma na Liga NOS 17/18, ao arrecadar um triunfo tranquilo por 2-0 – apesar de longe de brilhante – na deslocação ao terreno do D. Aves. Gelson Martins fez os dois golos do “leão”, numa partida “morna” e na qual permitiu aos da casa rematarem 13 vezes, valendo a desinspiração avense.

Resumo💻

 

O Jogo explicado em Números 📊

  • Sporting muito dominador nos primeiros dez minutos, a atingir os 65% de posse de bola, mas sem ir além de um remate, de livre, e desenquadrado. Porém, boa eficácia de passe, com 83% de entregas com sucesso.
  • O Aves, porém, tentou virar o rumo dos acontecimentos nos dez seguintes, com três remates contra dois aos 20 minutos. Só que o terceiro disparo leonino, o primeiro enquadrado do desafio, deu golo. Gelson foi lançado por Marcos Acuña, fugiu pelo meio, tirou Rodrigo da frente e rematou com êxito, ficando a ideia de que o guarda-redes Fachini poderia ter feito melhor.

  • Gelson Martins, pelo golo, e Acuña, pela assistência e pela qualidade de jogo demonstrada, eram os melhores à meia-hora, com 6.7 e 6.4 respectivamente no GoalPoint Ratings.
  • Intervalo O Sporting começou melhor, com muita bola, e até marcou um golo, mas a verdade é que os números ao intervalo mostram um D. Aves que não se deixou abater pelo golo de Gelson Martins. Dez remates para os homens da casa contra cinco são um bom indicador da coragem do Aves, mas o Sporting conseguiu enquadrar três disparos, contra dois dos anfitriões. Aí, e na posse de bola (39%-61%), esteve a grande diferença entre as duas equipas. Gelson, com um golo, um passe para finalização, dois dribles eficazes em duas tentativas, era o melhor em campo nesta fase, com 6.5 no GoalPoint Ratings, seguido por Acuña com  6.2.

  • A equipa de Jorge Jesus voltou a entrar dominadora, mas com o Aves sempre à espreita e a registar 48% de posse de bola à hora de jogo. No entanto, a emoção parece ter ficado ainda de férias, pois nesta fase do segundo tempo apenas se havia registado um remate, e para o Sporting (desenquadrado).
  • Pouco a dizer até então sobre uma segunda parte “morta”, sem rasgos colectivos ou individuais. Equilíbrio global aos 70 minutos, com 51% de posse para os “leões” no segundo tempo, dois remates para o Aves e um para o Sporting nesta fase, nenhum com a melhor direcção, cinco cantos para os da casa e dois para os lisboetas.

  • Aos 75 minutos, Gelson bisou. O extremo aproveitou um corte deficiente de um defesa do Aves para fazer o 2-0 com facilidade. Estava confirmado o vencedor da partida, tendo em conta como estava o jogo, e também o melhor em campo.

  • O Aves desistiu e pouco mais conseguiu até final do encontro. Olhando para os números, a grande diferença esteve mesmo na competência das equipas em zona de remate. O Sporting acabou com dez remates, sete deles enquadrados, enquanto dos 13 disparos do Aves, apenas dois chegaram à baliza. E quando é assim…

O Homem do Jogo 👑

Num jogo típico de arranque de temporada, de falta de ritmo e intensidade, Gelson, pelas suas características, acabou por aproveitar esse facto para se destacar dos demais. Marco Acuña chegou a ameaçar o destaque desta partida, mas o bis de Gelson atribuiu uma justiça extra à nossa distinção. O extremo terminou com um GoalPoint Rating de 8.2, graças aos golos, nos dois únicos remates que realizou, mas também aos dois passes para finalização, aos três dribles eficazes em cinco tentativas e aos três cruzamentos, embora apenas um certo.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Marcos Acuña 6.9 – Um dos jogadores a despertar mais curiosidade, e não desiludiu. Fez a assistência para o 1-0 e esteve muito activo, com dois dribles eficazes em duas tentativas, cinco duelos ganhos em nove disputados e 64 interacções com a bola.
  • S. Coates 7.4 – O Aves pouco perigo criou, apesar dos 13 remates, e muito por culpa do uruguaio. Parece estranho, mas teve sucesso nas duas únicas tentativas de drible, e ganhou 11 duelos em 15, recuperou 11 vezes a bola, fez quatro desarmes, cinco intercepções e sete alívios.
  • A. Fachini 6.7 – Teve culpas no primeiro golo, mas acabou por estar uns furos acima dos colegas, visto que realizou cinco defesas, três delas a remates dentro da sua área.
  • Fábio Coentrão 6.0 – Começou discreto mas foi melhorando aos poucos, apesar da clara falta de ritmo. Fez dois cruzamentos, um deles eficaz, acertou a totalidade dos sete passes longos, teve 66 interacções com a bola – o terceiro valor mais alto -, e realizou sete alívios.
  • Nélson Lenho 5.9 – O lateral-esquerdo fez um jogo positivo. Após brilhar no D. Chaves, está agora a mostrar credenciais no Aves, com quatro desarmes, uma intercepção, seis duelos ganhos em nove.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner