GoalPoint-Sporting-Estoril-LIGA-NOS-201718-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Estoril-LIGA-NOS-201718-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Estoril-LIGA-NOS-201718-90m
Clique para ampiar

O Sporting somou a quarta vitória na Liga NOS 2017/18, ao bater o Estoril Praia em casa por 2-1. Um arranque de jogo de grande nível dos “leões” valeram-lhe dois golos logo nos primeiros 11 minutos, mas os “canarinhos” depressa equilibraram as operações. No entanto, apenas nos minutos finais reduziram, antes de uns descontos de loucos com dois golos anulados. Para a história um triunfo leonino que parecia fácil, mas que acabou arrancado a ferros.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Arranque demolidor do Sporting. Aos quatro minutos já ganhava por 1-0, golo de Gelson Martins, a concluir ao segundo poste um cruzamento da esquerda de Marcos Acuña. Aos 11 foi a vez de Bruno Fernandes fazer balançar as redes, na superior marcação de um livre.
  • Ao primeiro quarto-de-hora o “leão” era dono do jogo, com 55% de posse, três remates que deram em dois golos, mas curiosamente uma fraca eficácia de passe que não passava dos 70% – Estoril com 73%, e também dois disparos, um com boa direcção.

  • Monteiro teve na cabeça a hipótese de empatar mas falhou incrivelmente, numa altura em que os estorilistas tentavam reagir. Por volta da meia-hora a formação visitante registava já 49% de posse e três remates, mas apenas um enquadrado. E somava já dois cantos, contra nenhum dos homens de Alvalade.
  • Intervalo O intervalo chegou com o Sporting a gerir a vantagem alcançada graças a um início de jogo fulgurante e o Estoril a tentar chegar com perigo (e a conseguir) à área de Rui Patrício. “Leões” a ganhar ao descanso e com 54% de posse de bola, cinco remates, dois enquadrados, contra quatro dos “canarinhos” (um à baliza). Melhor no primeiro tempo, Bruno Fernandes, que conquistou em definitivo a plateia de Alvalade. Um GoalPoint Rating de 7.1 graças a um portentoso golo de livre, dois remates (ambos de fora da área), oito recuperações de bola e dois desarmes.

  • Segundo tempo com o mesmo cariz de jogo da etapa inicial. Sporting a controlar, com 54% de posse, dois remates (desenquadrados), contra nenhum do Estoril. Fernando Fonseca era, nesta fase, o melhor dos visitantes, com 6.0 no nosso rating. O lateral-direito ganhara 11 de 16 duelos e registava o número máximo de toques na bola: 60.

  • Os dois golos madrugadores acabaram por ter um efeito negativo na partida. O Sporting descansou cedo, o Estoril tentou assumir o jogo, mas não conseguia colocar em perigo o resultado. O jogo arrastou-se no segundo tempo, com luta, mas futebol menos vistoso. Cinco remates para os “leões” no segundo tempo, apenas um enquadrado, apenas uma tentativa para os “canarinhos”, para fora, por volta dos 80 minutos.
  • Até que, aos 85 minutos, Lucas Evangelista arrancou um espectacular remate de fora da área, em zona central, e reduziu para 2-1. O primeiro tento sofrido pelo Sporting na Liga NOS 2017/18.
  • Um tento que acendeu o rastilho para um período de descontos de loucos, com dois golos anulados, um a Piccini e outro a Pedro Monteiro, que desfez aquilo que seria o empate.

O Homem do Jogo 👑

Um jogo em casa de um dos candidatos ao título em que o melhor em campo não é de um dos “grandes” não é habitual. O natural é que, quando isso acontece, seja um guarda-redes. Descanse, não lhe vamos vender Restaurador Olex, apenas não foi esse o caso. O melhor em Alvalade foi o médio estorilista Lucas Evangelista. Fez um golo estupendo de fora da área (vital na ultrapassagem ao líder durante quase toda a partida, Bruno Fernandes), num dos dois remates que realizou (ambos enquadrados), e ainda realizou dois passes para finalização, ganhou nove de 17 duelos, fez cinco desarmes e outros tantos alívios. Terminou com um GoalPoint Rating de 7.9.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Bruno Fernandes 7.8 – Mais um grande jogo do médio leonino. No lugar do lesionado Adrien, Fernandes marcou um excelente golo, em dois remates, realizou dois passes para finalização (um para ocasião flagrante), acertou os seus dois cruzamentos de bola corrida e ganhou dez de 16 duelos. Fez oito recuperações de bola, mas todas no primeiro tempo. Liderou quase todo o jogo no nosso rating, perdendo apenas devido ao golo de Evangelista, que o seguia de perto.
  • Marcos Acuña 7.7 – Um caso sério. O argentino voltou a fazer um grande jogo, com quatro passes para finalização, dois para ocasiões flagrantes e um que deu em assistência. E ainda teve sucesso em cinco de sete tentativas de drible e ganhou 11 de 20 duelos.
  • Rui Patrício 6.5 – No início pensou-se que iria ter uma tarde descansada, mas tal não se verificou. Teve de se aplicar em três defesas, embora apenas uma a remate de dentro da área.
  • Gelson Martins 6.4 – Marcou um golo e foi vê-lo a trabalhar para a equipa. Rematou três vezes, uma delas enquadrada, e acertou uma de três tentativas de drible. Pecou nos duelos, os quais só ganhou quatro de 11.
  • Bas Dost 4.2 – Um mistério. Rematou três vezes, duas delas mesmo ao cair do pano, e só enquadrou um remate. Desperdiçou duas ocasiões flagrantes e tocou 24 vezes na bola, e destacou-se apenas nos duelos aéreos – ganhou sete de nove.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner