goalpoint-sporting-setubal-liga-nos-201617-ratings
Clique para ampliar
goalpoint-sporting-setubal-liga-nos-201617-mvp
Clique para ampliar
goalpoint-sporting-setubal-liga-nos-201617-45m
Clique para ampliar
goalpoint-sporting-setubal-liga-nos-201617-90m
Clique para ampliar

O Sporting fez o que lhe competia e aproveitou a derrota do Benfica na Madeira, na sexta-feira, para ficar a apenas dois pontos do líder do campeonato. O triunfo tranquilo por 2-0 sobre o V. Setúbal dá a possibilidade aos “leões” de assumirem o primeiro lugar, caso vençam na próxima semana no Estádio da Luz.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Entrada autoritária do Sporting, com Bas Dost, ainda dentro do primeiro minuto, a obrigar Bruno Varela à primeira defesa complicada. E aos seis, William Carvalho abriu o activo, de cabeça, após cruzamento de Gelson Martins.

  • Com o golo, os “leões” chegaram ao terceiro remate do encontro, todos enquadrados. Ao quarto-de-hora os homens da casa somavam 69% de posse de bola e aos 25 minutos chegava aos 74% – muitas dificuldades para os sadinos.
  • Aos 33 minutos, Bas Dost introduziu a bola na baliza, mas o golo foi anulado, por suposta falta do holandês, numa altura em que a formação da casa somava seis remates, cinco deles enquadrados, e o V. Setúbal podia agradecer nesta altura a Bruno Varela por estar a perder apenas pela margem mínima – o guardião somava já quatro defesas, algumas de monta, mas…

  • … aos 36 minutos, o guarda-redes nada conseguiu fazer para travar um livre directo apontado por Bruno César, muito colocado, ficando a ideia de que Varela poderia ter feito um pouco mais – chegou mesmo ao intervalo com três erros registados.
  • Intervalo O descanso chegou com vantagem mais do que justa do Sporting, que anulou por completo o ataque sadino (zero remates, 23% de posse, zero passes para ocasião) e mostrou grande eficácia atacante, com nove disparos, seis deles bem enquadrados. Bruno César foi o melhor deste primeiro tempo, com GoalPoint Rating de 7.5, fruto do golo que marcou em dois remates, dos três passes para ocasião e 92% de 26 passes certos.
  • O jogo recomeçou da melhor forma para os “leões” e, aos 55 minutos, Coates viu um golo anulado, por braço e carga sobre Bruno Varela, que voltou a não segurar uma bola fácil.

  • Os primeiros remates (e logo três) do V. Setúbal surgiram aos 61 minutos (!), com Vasco Costa a obrigar Rui Patrício a grande defesa no segundo e, na recarga (o terceiro), Pedro Pinto a disparar à figura do guardião.
  • Nesta fase o Sporting somava apenas um remate no segundo tempo, mas tinha o controlo do encontro, com 63% de posse desde o descanso. E o primeiro canto do sadinos surgiu apenas aos 74 minutos.

  • A hipotética reacção do Vitória não passou disso mesmo, e tirando estes disparos no mesmo minuto, nunca mais os visitantes conseguiram importunar Patrício. E nem o Sporting acelerou muito. Os “leões” terminaram com 71% de posse de bola e no segundo tempo os remates equipararam-se: três para os anfitriões, quatro para o Setúbal, dois enquadrados para ambos. E nos cantos ficou reflectida a história do jogo, com dez para os da casa, dois para os forasteiros.

O Homem do Jogo 👑

Bruno César estava a fazer um excelente jogo, tendo sido o melhor do primeiro tempo. Mas a saída do brasileiro aos 72 minutos abriu caminho para William Carvalho tomar de assalto a distinção de melhor em campo. O médio marcou um golo em dois remates, acertou 90% de 71 remates, ganhou oito de nove duelos, recuperou sete vezes a bola e fez cinco desarmes, o que lhe valeu um GoalPoint Rating de 7.4. Um pêndulo, desta feita bem mais afoito na frente.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Gelson Martins 6.8 – Foi o mais virtuoso dos jogadores em campo. Assistiu para o primeiro golo, fez quatro passes para ocasião, mas desta feita apenas tentou uma vez o golo.
  • Bas Dost 6.0 – Não marcou e não terminou com um rating por aí além, mas teima a ser eficaz nos duelos que disputa, tendo ganho 71%, sete deles em dez lances pelo ar.
  • Coates 6.5 – O defesa uruguaio marcou um golo, que acabaria anulado, mas foi a defender que se destacou, ao ganhar 62% dos duelos que disputou, e fez ainda seis desarmes e três intercepções.
  • Costinha 5.9 – Foi o melhor sadino. O médio acertou 81% dos passes que fez e realizou dois passes para ocasião, metade do total da sua equipa, e ainda realizou três desarmes e três intercepções.
  • Bruno Varela 3.3 – O guarda-redes, que realizou uma estrondosa exibição no Dragão, esteve muito mal em Alvalade. Até começou bem, com quatro defesas nos primeiros minutos (terminou com seis), mas comprometeu de certa forma nos dois golos e registou três erros.