Ora aqui está, um a um, uma guia de consulta rápida dos principais conceitos/variáveis utilizados pelo GoalPoint nas suas análises estatísticas, para que não lhe falta nada na hora de interpretar o que lhe oferecemos.

Deixamos de fora o (excessivamente) óbvio mas… caso tenha qualquer dúvida adicional é só deixar o seu comentário no final deste texto, obrigado!

GoalPoint Ratings™ Conceito GoalPoint

Os GoalPoint Ratings resultam de um ao dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana.

Apesar de editorialmente mostrarmos sempre apenas uma selecção de variáveis, o GoalPoint Ratings processa neste momento quase 200 variáveis individuais, em tempo real, de modo a quantificar o desempenho de cada jogador.

Importa também referir que os GoalPoint Ratings previlegiam a análise de desempenho sobre o contexto editorial. Tal significa que não só não aplicamos a habitual hipervalorização do desempenho, comum em conceitos concorrentes (é habitual encontrar algoritmos que concentram as “notas” entre os 6 e os 10 pontos) como também não consideramos situações contextuais ou colectivas na avaliação do desempenho (ex. se o jogador joga numa equipa “grande” ou “pequena”, se marcou ou não o golo “decisivo”).

O GoalPoint Rating traduz assim o nível de produção de cada jogador, numa dada partida. Clique para saber mais.

Remate (e remate enquadrado)

Cristiano RonaldoEsta é óbvia não é? Olhe que não. Qualquer adepto sabe o que é um remate, ou seja, o acto de “disparar” à baliza mas, por exemplo, muitos não sabem que, estatisticamente, uma bola nos “ferros” não é um remate enquadrado.

Para ser considerado enquadrado um remate deve dirigir-se, sem dúvidas, para o “golo” ou seja, a área enquadrada pelos postes e trave. Sendo assim um remate enquadrado só pode terminar de duas formas: no fundo das redes ou defendido pelo guarda-redes ou outro jogador de campo.

Eficácia de remate (%)

A percentagem de remates enquadrados sobre o total de remates realizados por um jogador e/ou equipa.

Concretização (%)

A percentagem de remates convertidos em golo sobre o total de remates realizados por um jogador e/ou equipa.

Influência ofensiva Conceito GoalPoint

A percentagem de envolvimento directo (marcador) e indirecto (assistente) que um jogador tem nos golos da sua equipa.

Passe para ocasião
(ou passe-chave, passe p/ finalização)

Clique na infografia para ampliar (fotos: J. Trindade infografia: GoalPoint)
Clique na infografia para ampliar (fotos: J. Trindade infografia: GoalPoint)

Vale a pena ler esta explicação mais detalhada mas, numa perspectiva simples, este é o tipo de passe que pode criar perigo, mesmo que seja relativo, seja por permitir a um colega executar um remate seja por colocar um companheiro numa ocasião de golo flagrante, mesmo que este nem chegue a conseguir rematar.

A mais popular “assistência” não é mais do que o passe para ocasião que resulta efectivamente em golo. O passe para ocasião é também muitas vezes referido como “passe-chave” (key pass em inglês).

Assistência

Os golos podem ou não ser acompanhados de uma assistência prévia. No caso dos golos que resultam de um passe para ocasião “puro” (sem qualquer contacto com outro jogador) é atribuída uma assistência ao autor do passe para ocasião.

Por vezes atribuí-se também uma “segunda assistência” em casos especiais que envolvem passes de primeira (ex. jogador cruza uma bola parada, um colega prepara de cabeça para o centro da área e um terceiro jogador cabeceia para golo. O marcador da bola parada regista uma “segunda assistência”.

Eficácia de passe (%)

A percentagem de passes eficazes (recebidos por um colega) sobre o total de passes realizados por um jogador e/ou equipa.

Eficácia de cruzamento (%)

A percentagem de cruzamentos efectuados que são recebidos por um colega de equipa, sobre o total de tentativas de cruzamento efectuadas.

Duelo

Liga NOS 15/16 | Os duelos que vão a jogo no Dragão
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Um duelo compreende qualquer disputa 50-50 entre dois jogadores, incluíndo acções ofensivas (ex. dribles) ou defensivas (tentativa de desarme, disputa de bola pelo ar). Por cada duelo ganho é atribuído igualmente um duelo perdido, por um jogador e equipa.

A maioria dos sub-grupos de duelos são segmentados, sendo que a GoalPoint particulariza habitualmente pelo menos dois deles, o drible (finta) e o duelo aéreo.

Drible

Um drible eficaz é uma situação de um-para-um (duelo) que pressupõe que quem o executa ultrapasse pelo menos um adversário. Virtuosismo técnicos que não resultem em nada práctico (por exemplo as famosas pedaladas) não são consideradas um drible, nem eficaz nem ineficaz. Tal como referido anteriormente, sempre que um jogador executa um drible eficaz há um adversário que perde um duelo.

Desarme

Se o drible é o tipo de duelo ofensivo mais comum já o desarme é o seu irmão “gémeo” no plano defensivo. Sempre que um jogador tenta, com sucesso, desarmar um adversário, contabiliza um desarme e um duelo ganho. Os desarmes podem ainda dividir-se em “ganhos” e “perdidos” não pelo sucesso com que são realizados mas sim pela forma como terminam, em termos de posse. Apesar de um desarme ser sempre um duelo ganho, um desarme pode ser ganho se a posse fica do lado da equipa do autor do desarme, ou perdido, se apesar do desarme o adversário mantém a posse.

Intercepção

Sempre que um jogador antecipa intencionalmente um passe adversário, mantendo a posse de bola, é lhe atribuída uma intercepção.

Recuperação de posse

Sempre que um jogador recupera a posse de bola para a sua equipa, por acção voluntária ou erro do adversário, é-lhe atribuída uma recuperação de posse.

Alívio

Sempre que um jogador corta a bola sem intenção de manter a posse e apenas de modo a afastar o perigo é-lhe atribuído um alívio.

Bloqueio de remate

Todos os remates interceptados por jogadores de campo são considerados remates bloqueados, desde que existam outros jogadores e/ou guarda redes entre o bloqueio e o golo.

Acções defensivas

A soma das últimas quatro: Desares, intercepções, alívios e bloqueios de remate.

Saída

Sempre que o guarda-redes sai das imediações da sua linha de golo para afastar o perigo e/ou tentar recuperar a posse. Caso tenha sucesso regista também uma saída eficaz. No grupo das saídas existem ainda as “saídas a soco”, sempre que o guardião recorre a este gesto técnico para afastar a bola.

Defesa incompleta

Iker Casillas na Liga NOSSempre que um guarda-redes tenta recolher uma bola e a larga é-lhe atribuída uma defesa incompleta.

Eficácia defensiva (Guarda-redes) Conceito GoalPoint

A eficácia defensiva dos guarda-redes é aferida calculando a percentagem de remates enquadrados enfrentados defendidos. Esta variável é referida pelo GoalPoint

Tem dúvidas adicionais?
Deixa-as na caixa de comentários, prometemos manter este artigo actualizado, obrigado!

PARTILHAR
GoalPoint
A equipa GoalPoint procura trazer-lhe a melhor análise, estatística e opinião sobre o futebol português e internacional.
  • GreenTea

    É bom para os amantes de FM. De futebol, nem por isso. O Pepe teve uma % passe miserável contra a Croácia, mas fez um jogão e defendeu muito bem. Adrien Silva perdeu número recorde de duelos, mas Modric só se viu em campo quando ele saiu.

    E o problema nem é esse, o problema é o que divulgam o que vos dá jeito à agenda clubítica. Acham bem os tweets que fizeram durante o jogo? Querem explicadinho tim tim por tim tim? Porque eu explico.

    Clubites, é o que é. Assumam de uma vez, e deixem-se de tretas.

    • #UnidosContraAEncefaloClubite

      • GreenTea

        Nem disfarçam, estes lampiões. Arrota aí mais uma estatistica.