Finda a 5ª jornada europeia do apuramento para o Mundial 2018 é hora de revisitar o melhor “onze” GoalPoint Ratings e de perceber que nomes se destacam até ao momento. E são poucos os que se mantêm face ao último exercício semelhante, publicado à terceira jornada mas um deles… é português.

GoalPoint-Ratings-XI-Qualificacao-Mundial-2017-Jornada-5-infog
Clique para ampliar
  • D. Randolph (Rep. Irlanda) 6.16 – A República da Irlanda segue na frente do Grupo D, a par da Sérvia, com 11 pontos e com zero derrotas e apenas três golos sofridos o mérito vai, em parte, para Randolph, o guardião irlandês que com as suas 16 defesas travou 84% dos remates que enfrentou, percentagem batida apenas pelo luxemburguês Moris que, no entanto, soma apenas 201 minutos jogados (contra 450 de Randolph).
  • J. Kimmich (Alemanha) 7.30 – O “pesadelo” e Renato Sanches no Bayern alinha a lateral na Alemanha e… alinha bem, mantendo-se no “onze” ideal desde a última visita que lhe fizemos e com razões para tal: um golo,  três assistências e 89% de passes certos nos 450 minutos jogados.
  • E. Spahic (Bósnia) 6.67 – O “veterano” central (36 anos) ainda está aí para as curvas na selecção, isto apesar de ter perdido o estatuto “Bundesliga”, sendo dispensado pelo Hamburgo em Janeiro. Às sete intercepções, oito desarmes e 83% de eficácia de passe junta ainda dois golos em 340 minutos.
  • K. Arnason (Islândia) 6.54 – O gigante islandês que alinha no Nicósia vai mantendo viva a “lenda viking” neste “onze” europeu e os seus números até fazem desconfiar do seu papel como central: um golo e duas assistências em 450 minutos de jogo, que vão contribuindo para o sonho do apuramento: a Islândia ocupa o segundo lugar do Grupo I, a três pontos da Croácia.
  • J. Hector (Alemanha) 7.06 – É raro a Alemanha queixar-se de falta de soluções, mas nas laterais ainda menos hoje em dia: Hector é o homólogo de Kimmich, pelo lado esquerdo, onde já soma dois golos e três assistências nesta campanha, interceptando dez passes em cinco jogos. Fartura germânica.
  • T. Kroos (Alemanha) 7.70 – O patrão “merengue” replica o estatuto também na “mannschaft”. Apesar de contar com apenas um golo e não somar qualquer assistência nas dez ocasiões que contabiliza, Kroos é o pêndulo do jogo alemão, somando já 386(!) passes certos, nada menos do que 91% dos que somou nos 345 minutos disputados. E ainda recuperou a posse em 28 ocasiões.
  • M. Pjanic (Bósnia) 8.21 – O “cérebro” do meio-campo da Juventus é naturalmente o comandante da Bósnia: assistiu cinco dos 13 golos da sua selecção e ainda marcou um, oferecendo um total de 29 ocasiões de finalização em cinco jogos. O apuramento pode ser complicado mas a sua classe permanece indiscutível.
  • E. Hazard (Bélgica) 8.09 – O “mago” belga não deixa os créditos por mãos alheias, tal como o faz no Chelsea: três golos e outras tantas assistências em apenas 340 minutos e no que toca ao drible o “exagero” que lhe é habitual: 17 dribles eficazes o que corresponde a uma taxa de sucesso de… 71%!
  • T. Muller (Alemanha) 8.21 – A grande desilusão germânica no Euro está de volta e na sua melhor versão: cinco golos e três assistências em cinco jogos bastam para fundamentar o que aqui afirmamos.
  • C. Ronaldo (Portugal) 8.18 – Acusado muitas vezes de não render o mesmo por Portugal, como o faz no Real Madrid, desta feita o “nosso capitão” não está a permitir grande discussão: nove golos em 38 remates (melhor marcador da Qualificação), e até já marca de livre directo pela Selecção. Só lhe faltam as assistências, ainda não soma nenhuma.
  • R. Lewandowski (Polónia) 8.06 – O polaco é o grande perseguidor de Ronaldo na tabela de melhores marcadores: soma oito golos em 23 remates, o que faz dele um “matador” ainda mais eficaz mas também ainda não ofereceu qualquer golo aos colegas.

Banner_UNICEF_GOAL_3Parabéns aos eleitos!
A luta pela qualificação para o Rússia’18 regressa em Junho.