A Selecção de Portugal venceu hoje a Polónia no desempate por grandes penalidades e avança para as meias finais. Renato Sanches foi o autor do único golo nacional no tempo regulamentar, com Rui Patrício a dar a “palmada de ouro”, sancionada por Ricardo “Mustang” Quaresma com o penálti decisivo que encheu Portugal de alegria.

Mau início e emenda

Portugal não podia ter protagonizado pior começo. Logo aos dois minutos, um falhanço de Cédric permitiu que Grosicki a desmarcação na esquerda e posterior cruzamento para Lewandowski marcar o seu primeiro golo no Europeu… no primeiro remate polaco à baliza. A coisa começava “torta”.

Apanhada em desvantagem bem cedo, a Selecção não se deixou tomar pelo desespero. Apoiada no tridente leonino (William, Adrien e João Mário) e com o “miúdo” Renato Sanches a comandar a “revolta lusa”, Portugal conseguiu empatar ainda antes do apito para o intervalo.

Tento de um tal Renato Sanches… Um golaço do “miúdo” a dar corpo (e golo) a uma exibição de “patrão”, com recordes à mistura (mas já lá vamos).

Tementes ao golo

Talvez optimistas pela forma como ultrapassaram a última eliminatória (os polacos nos penáltis e os portugueses no prolongamento), as duas selecções disputaram o segundo tempo mais receosos de um golo adversário do que focados em definir o seu destino.

Olhando para os números “lusos”, do primeiro para o segundo tempo a Selecção Nacional terminou com:

  • menos remates (de nove para seis);
  • menos “tiros”enquadrados (apenas um nos segundos 45 minutos, contra três na primeira parte);
  • e menos posse de bola (de 50% descemos para 47%).

Portugal registou ainda assim uma melhoria substancial nos duelos ganhos (de 49% para 57%) e eficácia de passe (de 82% para 89%) para chegar ao final do tempo regulamentar com novo empate. O jogo não estava ganho mas estava… controlado.

Portugal terminava a quinta partida neste Euro 2016 sem ganhar… e sem perder e seguia para mais 30 minutos de  sofrimento.

Onda andas CR7?

Foi um prolongamento de nervos aquele que se seguiu. Mas ao contrário do que se passou no Euro 1984 (neste mesmo Stade Vélodrome em Marselha), onde a Selecção foi eliminada pela França com dois golos de Platini, Portugal conseguiu subsistir sem grandes percalços.

É certo que a Polónia não criou tantas calafrios em cima do apito como a Croácia nos oitavos-de-final, mas a Portugal faltou nesta fase inspiração colectiva e um Cristiano Ronaldo ao seu nível, de modo a evitar a “lotaria”.

“São Patrício”

O receio era visível nos rostos e unhas “roídas” de adeptos e “comitiva. Todos nos lembrávamos da eliminação nos penáltis, frente à Espanha, na meia-final do último Europeu.

Mas é nos momentos de maior aperto que surgem os verdadeiros campeões. E se durante a partida foi Renato Sanches o grande destaque luso, no desempate por grandes penalidades foi Rui Patrício que assumiu o papel de mensageiro do “sonho”.

Depois de uma série de três penáltis convertidos por ambas as equipas, eis que surge “Super Rui” a defender, de forma categórica, um remate de “Kuba” Blaszczykowski e de seguida Ricardo Quaresma sentencia a partida e coloca Portugal nas meias finais… sem se aperceber de imediato do que tinha feito, uma imagem fantástica.

GoalPoint Ratings sentenciou Renato Sanches como o melhor em campo esta noite com 8.1. Destaque claro para o seu golo, mas também para os seus 94% de eficácia de passe, dez duelos ganhos, sete dribles eficazes e doze recuperações de posse de bola. Mas não só “Bulo” esteve em alta, como é possível perceber na infografia anexa: Pepe e Patrício também registaram desempenhos estatísticos acima da média. Pecha? Os malfadados cruzamentos, que já aqui abordámos.

Factos Estatísticos GoalPoint:

  • Renato Sanches tornou-se o jogador mais jovem a ser lançado a titular neste Euro 2016 (18 anos e 316 dias).
  • O primeiro golo da noite foi marcado a 1 minuto e 40 segundos. O tento de Lewandowski foi o segundo mais rápido em fases finais de um Europeu. O mais rápido continua a ser o do russo Dimitri Kirichenko no EURO 2004 (76 segundos).
  • Foi o primeiro golo de Lewandowski em 645 minutos disputados em fases finais de um Euro.
  • Com o golo de hoje, Renato Sanches é o jogador mais novo de sempre a marcar em fases a eliminar de Europeus, precisamente no mesmo dia em que, há 12 anos, Cristiano Ronaldo tinha conquistado igual marca (vs. Holanda, Euro 2004). Abarcando as fases de grupos, o Renato é terceiro, apenas atrás do inglês Wayne Rooney e do suíço Johan Vonlanthen (que marcaram no Euro 2004).
  • Apenas Luís Figo (5) tem mais assistências em Europeus por Portugal do que Nani (4).

Portugal irá agora defrontar o vencedor do embate entre País de Gales vs Bélgica na próxima quarta-feira.

GoalPoint | Polónia vs Portugal | Ratings | Euro 2016
Clique para ampliar

GoalPoint | Polónia vs Portugal | Renato Sanches | Euro 2016
Clique para ampliar

GoalPoint | Polónia vs Portugal | 1 Parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Polónia vs Portugal | 2 Parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Polónia vs Portugal | Final | Euro 2016
Clique para ampliar