Curioso, igualmente, saber onde se enquadra Herrera no contexto do futebol português em termos de desempenho, tendo como referência as principais pedras dos grandes adversários do FC Porto na luta pelo título, Sporting e Benfica. Se na Luz não têm surgido consistentes alternativas para o lugar de Pizzi a médio-centro, já no Sporting, Bruno Fernandes têm assumido esse papel (embora mais virado para o ataque), que na temporada transacta era ocupado por Adrien Silva.

No comparativo com os rivais, Herrera fica apenas a perder para Bruno Fernandes. E essa diferença é facilmente explicável pela grande apetência do “leão” pelo remate, de qualquer zona do terreno, sendo que tem ocupado áreas bem adiantadas do mesmo. Por isso mesmo, Fernandes soma já seis golos, quatro deles de fora da área. E nem o melhor jogador da Liga NOS de 2016/17, Pizzi, consegue atingir níveis de desempenho semelhantes aos de Herrera esta temporada. Será mesmo “patinho feio”?