GoalPoint-Porto-RB Leipzig-Champions-League-201718-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-RB Leipzig-Champions-League-201718-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Porto-RB Leipzig-Champions-League-201718-90m
Clique para ampliar

O FC Porto deu um importante passo rumo ao apuramento para a próxima fase da Liga dos Campeões ao bater o Leipzig por 3-1, no Estádio do Dragão. A equipa “azul-e-branca” viu-se em vantagem logo cedo, com um golo de Herrera, acabando por ceder a igualdade pouco depois do intervalo. A entrada fulgurante dos alemães na segunda parte fez tremer as bancadas do Dragão, mas os comandados de Sérgio Conceição rubricaram uma exibição praticamente irrepreensível nos últimos 30 minutos, chegando à vitória com golos de Danilo e Maxi Pereira.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Começo azarado para o FC Porto, que foi obrigado a mexer na equipa logo aos 13 minutos, fruto da lesão muscular de Marega, rendido por André André. O avançado maliano acabou por sair sem ter feito qualquer passe mas com três duelos disputados, dos quais venceu um. Mas o minuto 13 acabou também por ser de sorte para os “dragões”, que chegaram à vantagem num remate de Herrera, que surgiu sozinho na área alemã no seguimento de um canto.
  • Aos 21 minutos, Forsberg obrigou José Sá à primeira grande defesa da noite com um livre direito com direção ao canto superior esquerdo da baliza. Acentuava-se a pressão exercida pela equipa alemã, que chegaria à meia-hora de jogo com 62% de posse, 82% de eficácia de passe (contra apenas 74% do FC Porto) e 156 passes (contra 95).

  • O FC Porto chegou aos 40 minutos de jogo sem um único remate feito durante 15 minutos, o que demonstrava bem a pressão que estava a ser exercida pelo Leipzig. Na equipa portista, Brahimi dava nas vistas com sete recuperações de bola, sendo que, perto dele, só havia Herrera, com cinco.
  • Intervalo Ao final dos primeiros 45 minutos, era notório que o FC Porto tinha criado mais perigo do que o adversário, ainda que os alemães tivessem tido mais bola e sido mais eficazes na distribuição. Herrera, o autor do golo dos “dragões”, liderava os GoalPoint Ratings com 6.7, aliando ao remate certeiro um passe para finalização, cinco duelos ganhos, seis recuperações e quatro desarmes. O melhor jogador em campo do Leipzig era até então o central Orban 5.6, com 88% de passes certos, cinco duelos ganhos e três alívios.

  • A segunda parte arrancou com o golo do Leipzig. Acabado de entrar, Timo Werner surgiu na cara de José Sá depois de um grande passe de Sabitzer e colocou a bola no fundo da baliza com um arco perfeito por cima da cabeça do guardião portista.
  • A equipa portista acabou por chegar novamente à vantagem aos 61 minutos, num cabeceamento certeiro de Danilo Pereira após um livre batido por Alex Telles. Era o justo prémio pela pressão exercida pelos “dragões”, que já levavam cinco remates na segunda parte, enquanto os alemães ainda só tinham um disparo, que resultara no golo.

  • Aos 75 minutos, o FC Porto já tinha dez passes para finalização na sua conta, com Ricardo Pereira e Alex Telles a liderar a lista (três cada). Os laterais dos “dragões” tinham mais passes para remate do que toda a equipa do Leipzig, que apenas somava dois.
  • Ainda antes do apito final houve tempo para mais um golo do FC Porto, desta vez de Maxi Pereira. O lateral uruguaio foi lançado por Aboubakar e, no um-para-um com Gulács, não desperdiçou a oportunidade. O remate certeiro do jogador portista acabou por “desequilibrar” as contas, uma vez que as duas equipas tinham até então igualdade absoluta em termos de remates na segunda parte (sete ao todo, um deles enquadrado, resultante em golo).

O Homem do Jogo 👑

Danilo Pereira voltou a rubricar uma grande exibição, mostrando de novo o quão importante é para a equipa portista, não só a a defender como também a atacar. O médio português esteve envolvido nos dois primeiros golos da sua equipa, assistindo Herrera antes de ele próprio marcar, num dos três remates que fez. Para além disso, Danilo Pereira acertou 86% dos seus passes, venceu oito dos 13 duelos que disputou e somou dez acções defensivas, entre as quais quatro intercepções e dois bloqueios de remate. Uma noite de sonho que lhe valeu um GoalPoint Rating de 7.8.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Herrera 7.1 – Abriu o caminho para a vitória portista com um golo madrugador. Acertou 33 dos 39 passes que fez, dois deles para finalização, recuperou a posse oito vezes e somou seis acções defensivas.
  • Alex Telles 6.4 – Fez três passes para finalização, tantos quanto Ricardo Pereira, sendo que um deles resultou em golo (de Danilo). Colocou a bola nove vezes na área adversária, mais do que qualquer outro jogador, e contabilizou oito acções defensivas.
  • Corona 6.3 – Boa exibição do mexicano, ainda que não tenha feito nenhum remate enquadrado ou passe para finalização. Foi eficaz em quatro das suas cinco tentativas de drible, disputou 18 duelos, vencendo dez, sofreu quatro faltas e fez três intercepções e dois desarmes.
  • Keita 5.9 – Foi uma das grandes dores de cabeça para a equipa portista. Somou dois remates, nenhum deles enquadrado, 46 passes certos, 86 toques e 24 duelos, dos quais venceu 13. Foi ainda líder em desarmes e em faltas sofridas (seis em ambos).
  • Augustin 4.2 – Teve eficácia de 100% no passe mas ainda assim foi o pior da noite. Fez apenas dez entregas em 72 minutos, tocou na bola 25 vezes, sofreu cinco desarmes e perdeu a posse em dez ocasiões.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner