10º Alexis Sánchez

GoalPoint-Pepita-de-Ouro-2016-Alexis-Sanches-10-infog
Clique para ampliar

O chileno volta a repetir o “top 10” da época passada, e se desceu cinco lugares não foi por ter piorado de rendimento, mas sim porque os outros melhoraram. Conseguiu marcar com mais frequência apesar de ter rematado menos, e particularmente de fora da área tem uma temível taxa de acerto na baliza (45%). Também nas assistências melhorou a sua cadência e só nos dribles eficazes desceu, de 3,9 para 3,2, fruto das posições mais avançadas em que muitas vezes é colocado por Arsène Wenger.

Se ao serviço do Arsenal continuam a faltar conquistar importantes, com a sua selecção voltou a conquistar a Copa América e foi um dos protagonistas principais da prova.

9º Arturo Vidal

GoalPoint-Pepita-de-Ouro-2016-Arturo-Vidal-09-infog
Clique para ampliar

Tinha ficado em 30º lugar na época passada mas em 2016 subiu ainda mais de rendimento. Forma com Xabi Alonso e Thiago Alcântara um dos melhores trios de meio-campo do mundo e juntos somam quase 350 toques na bola a cada jogo. Vidal é, dos três, aquele que oferece o lado mais físico, mostrando-se omnipresente em todas as tarefas, tanto defensivas como ofensivas.

Foi na Liga dos Campeões que esteve ao seu melhor nível, e o Benfica que o diga, pois foi contra os “encarnados” que marcou os seus dois golos na prova.

Na selecção veste uma pele ainda mais decisiva, trabalhando defensivamente com a mesma intensidade, e com participação directa numa percentagem de golos bem maior do que no Bayern.

8º Gareth Bale

GoalPoint-Pepita-de-Ouro-2016-Gareth-Bale-08-infog
Clique para ampliar

Mais um jogador que subiu de rendimento em relação à época passada, tendo “trepado” dez lugares na tabela. Carregou a selecção do País de Gales às costas no Euro 2016, conseguindo números dignos de avançado de uma selecção candidata.

Só três jogadores em todo o mundo marcaram golos de cabeça com mais frequência que ele (um a cada 396 minutos), mas, ao contrário de Cristiano Ronaldo, Bale não trocou o golo pela capacidade de desequilíbrio individual, tendo registado 2,7 dribles eficazes a cada 90 minutos de jogo, o que também foi uma melhoria em relação ao ano passado.

Tendo em conta que raramente marca as bolas paradas no Real Madrid, os 16 golos que marcou em 22 jogos da Liga são um registo impressionante.

7º Philippe Coutinho

GoalPoint-Pepita-de-Ouro-2016-Philippe-Coutinho-07-infog
Clique para ampliar

O ano de 2016 foi de afirmação de Philippe Coutinho como um dos jogadores de maior futuro no futebol mundial. Em 2015 tinha terminado em 27º da nossa lista, mas a chegada de Klopp e a consequente subida de produção do Liverpool deram o empurrão que faltava para o brasileiro passar de promessa a certeza.

Dos 13 golos que Coutinho marcou nas três provas mais importantes, oito foram de fora da área, e terminou o ano como o jogador que marcava de longe com maior frequência, tirando partido do seu característico movimento de partir da esquerda para o meio. Mas Coutinho está longe de ser um jogador individualista, e subiu a sua média de passes para ocasião a cada 90 minutos de 2,2, em 2015, para 2,7, em 2016.

Para complementar, ainda fez uma Copa América de grande nível, marcando três golos nos três jogos em que actuou. Deixa “água na boca” para 2017.

>> NA PRÓXIMA PÁGINA: UMA SURPRESA FORA DO PÓDIO

  • Matheus

    Sério que vcs acham que o Thiago é mehor que o Suarez,Neyma,Ronaldo e Bale?? pqp classificação mais bosta que ja vi na minha vida

    • Matheus, leia o artigo. Ler faz bem e vai dar para perceber que a classificação não é “nossa”, é estatística e diz respeito ao ano civil 2016. Ninguém está a dizer “quem é melhor” mas sim quem produziu mais e melhor, no ano civil. Cumprimentos