Com a recente venda de Nélson Semedo, o Benfica ultrapassou a fasquia dos 100 milhões de euros realizados em vendas esta época. No entanto há algo a inquietar a “nação encarnada”. Se no caso do lateral-direito a sucessão já tinha sido assegurada atempadamente, com a chegada de Pedro Pereira em Janeiro e, no caso de Lindelöf, o problema também não parece tão grande dadas as qualidades (e anos pela frente) que ainda sobram a Jardel e Lisandro López, a situação muda de figura em relação à baliza.

GoalPoint-Ederson-Player-MatchingÉ certo que chegou Bruno Varela do Vitória de Setúbal, mas a prioridade do Benfica nunca foi essa, como fica bem claro pela insistência (falhada) em André Moreira, já depois de Mourinho ter “cortado as vazas” ao negócio com Joel “El Gato” Pereira. Se há coisa que todos estes têm em comum é a juventude. A idade avançada de Júlio César, a juntar à política de valorização de jogadores do clube, faz com os “encarnados” procurem um guardião jovem, com margem de evolução para render dentro e fora do campo, e nós fomos atrás dessa possível pepita.

GoalPoint-Melhores-da-Europa-10-Percentagem-remates-defendidos-201617-9-infog
Clique para ampliar

Há um problema: Ederson não é fácil de substituir. Para além das enormes qualidades que demonstrou entre os postes nesta última época, terminando-a como o segundo guardião mais eficiente a parar remates em toda a Europa, o brasileiro possui características únicas na saída da baliza e no passe difíceis de encontrar por esse mundo fora.

Decidimos, por isso abraçar o desafio de ir atrás dessa espécie rara. De maneira a tornar a análise o mais robusta possível, fizémo-lo olhando aos números das últimas duas temporadas, e estes foram os cinco guarda-redes jovens, com preços (ainda) ao alcance do mercado português, que encontrámos nos dados.

José António Caro (Sevilla B)
Espanha, 23 anos

GoalPoint-Caro-Sevilla-Ederson-Player-Matching

O único dos cinco nomes apresentados que nunca jogou futebol de Primeira Divisão. “Churriti” Caro foi formado no Sevilha, o único clube que representou até agora, também como profissional, e é uma das grandes figuras da equipa B sevilhana. Já tinha sido assim em 2015/16, quando no play-off final não só defendeu como marcou a grande penalidade decisiva para a subida à Segunda Liga Espanhola, e a boa forma continuou na temporada passada.

Dono de reflexos tremendos, defendeu 73% dos remates que lhe foram endereçados já dentro da grande área, um número que até é superior ao de Ederson, e apareceu várias vezes nas habituais compilações de melhores defesas do mês na Segunda Liga Espanhola. A rapidez nas saídas da baliza é outra das especialidades do espanhol, fazendo-o não só com frequência mas também com grande eficácia, visto que não falhou nenhuma nos 3060 minutos de utilização que teve. Em relação a Ederson (e aos outros) perde na qualidade do passe longo.

Poderia estar aqui um negócio semelhante ao de Álex Grimaldo. Jovem, espanhol e, ao contrário do que o nome indica, bastante barato. Se acha que a Segunda Liga Espanhola é pouco competitiva, lembre-se que Bruno Varela esteve lá na temporada 15/16, não realizando qualquer partida.

Alban Lafont (Toulouse)
França, 18 anos

GoalPoint-Lafont-Tolouse-Ederson-Player-MatchingÉ o benjamim da lista, mas também um dos mais dispendiosos. Aos 18 anos, Lafont já é titular da selecção Sub-20 francesa e estreou-se a titular na Ligue 1 com apenas 16 primaveras. Nascido no Burkina Faso, foi para França bastante novo, onde se formou nas escolas do Toulouse até ser lançado por Dominique Arribagé, sem sequer passar pela equipa B.

Estatisticamente, Lafont é o que apresenta a menor percentagem de remates a curta distância defendidos, mas a sua juventude e o crescimento da eficácia nesse parâmetro de 15/16 para 16/17 são muito encorajadores. Na hora de sair da baliza, o adolescente também não se faz rogado, enquanto as qualidades no passe estão em linha com as de Ederson.

Lafont significaria um investimento na ordem dos oito milhões de euros, no entanto, por tudo o que já referimos, não restam dúvidas que valorizaria para números bem mais altos.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: UM SUL-AMERICANO E UM AFRICANO