Quase de repente, N’Golo Kanté, um pequeno médio francês, agora com 25 anos, tornou-se o jogador do momento. Mas como é que isso aconteceu? Com uma modesta carreira nas divisões secundárias de França e apenas uma época ao mais alto nível, no Caen, Kanté foi contratado no início da época passada pelo Leicester a troco de €9M e foi peça fundamental de um “terramoto” que abalou os alicerces do futebol europeu.

O modesto Leicester, com um modelo de jogo básico que desafiava tudo o que se começava a acreditar ser a maneira de jogar de uma equipa de sucesso, foi, contra todas as probabilidades, campeão inglês. Muito se falou de Jamie Vardy, Riyad Mahrez, Kasper Schmeichel, mas todos esses ainda lá ficaram. O único dos titulares que saiu no Verão foi N’Golo Kanté, e de repente o mesmo modelo de jogo já não funciona. Porquê? O que tem Kanté de tão especial para fazer “aquilo” funcionar?

Kanté com ar de quem se prepara para roubar mais uma

A resposta é: tudo o que era preciso. No modelo que Ranieri implementou, era sobretudo essencial recuperar rapidamente a bola, o mais perto possível da baliza adversária, lançar de imediato o contra-ataque, fosse com passes longos para Vardy ou para os alas, ou mesmo usando a velocidade, e Kanté era a chave-mestra para tudo isso. Dono de uma capacidade de desarme extraordinária, é provavelmente o melhor do mundo nesse aspecto hoje em dia. Igualmente, Kanté é inteligentíssimo a posicionar-se no terreno, o que lhe permite interceptar uma grande quantidade de passes. No que toca a entregar a bola aos colegas, a capacidade de passe também está lá.

Isso tem-se visto no Chelsea, onde Conte já não lhe pede tanto para lançar contra-ataques mas para jogar pelo seguro em Matic ou Fàbregas, mas tudo o resto que distinguiu Kanté no Leicester é útil a Conte, e não é por acaso que o Chelsea lidera a Premier League com uma enorme vantagem.

GoalPoint-N'Golo_Kanté_2015_vs_N'Golo_Kanté_2014-infog
Clique para ampliar

Resumindo, neste momento, este pequeno francês é o jogador que todos queriam ter. Mas será que há mais jogadores como ele por descobrir? O Leicester não o contratou por acaso. Conhecido também por ter um avançado departamento de análise estatística, o que poucos sabem é que N’Golo Kanté já tinha sido o jogador com mais desarmes nas principais ligas europeias quando ainda representava o Caen, e quase todas as características pelas quais hoje é elogiado já eram detectáveis quando o agora internacional francês ainda jogava no seu país natal.

Kanté é bom, muito bom, e não é fácil encontrar craques como este. Mas se há lição que esta história nos ensina é que por vezes os métodos tradicionais de detecção de talento têm dificuldade em encontrar jogadores com determinadas características, e que o segredo pode estar numa boa complementaridade entre o scouting observacional e o que gostamos de chamar data scouting. Neste exercício pretendemos mostrar isso mesmo, e apresentamos-lhe cinco jogadores que podem chegar ao nível de N’Golo Kanté, ou, quem sabe, ainda mais alto.

Anderson Esiti (Gent)
Nigéria, 22 anos

GoalPoint-Esiti-Gent-Kante-Player-MatchingQuem acompanha o futebol português estará lembrado deste nome. Chegou a Portugal vindo do seu país natal para representar o Leixões ainda no campeonato de júniores. Rapidamente foi promovido à equipa principal, que estava na Segunda Liga, e logo aí despertou o interesse do Sporting. A mudança não se concretizou, transferindo-se então para o Estoril, onde fez duas épocas algo intermitentes, também devido a lesões.

No entanto, a sua qualidade sempre foi evidente. Ainda no início desta época o indicávamos como uma das dez apostas GoalPoint para a época 16/17, e Esiti não demorou a dar o salto, trocando o Estoril pelos belgas do Gent, no último dia do mercado de Verão. No campeonato belga, o médio-defensivo continua a mostrar toda a qualidade que já apresentava em Portugal e, a continuar assim, daqui a uns anos estamos todos a perguntar-nos como é que os “grandes” o deixaram escapar.

É, dos cinco recomendados, aquele que recupera mais vezes a posse de bola e o que tem melhor eficácia de passe, revelando ainda excelentes capacidades técnicas que ficam bem patentes na eficácia de 79% nos 2,2 dribles que faz a cada jogo. Não se deixem enganar pelo seu 1,89m e 82kg: Esiti é muito mais que um destruidor e tem um potencial tremendo.

Idrissa Gueye (Everton)
Senegal, 27 anos

GoalPoint-Gueye-Everton-Kante-Player-MatchingÉ entre todos aquele que mais se assemelha a N’Golo Kanté. Pelo físico, pelas características, pelo percurso, e até pela soma em que já está avaliado hoje em dia. Chegou a Inglaterra ao mesmo tempo que Kanté, mas teve o azar de ter “aterrado” num Aston Villa completamente à deriva, que acabaria por descer de divisão.

No entando, o Everton não o deixou escapar, pagando €9M para o ter esta época, sensivelmente o mesmo que o Aston Villa pagara ao Lille e que o Leicester pagou ao Caen. Gueye é uma autêntica fotocópia de Kanté, e vê-los jogar é um complicado exercício de “descubra as diferenças”.

Contra si joga apenas o facto de ser dois anos mais velho que o francês, mas mesmo assim espera-se que o interesse em si neste Verão seja elevado. Afinal de contas, em nenhum sítio como em Inglaterra se reconhece a importância de um jogador destes hoje em dia, e os “tubarões” já estão todos a rondar o clube de Liverpool.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: UM QUE JÁ FOI “CAÇADO”