GoalPoint-Benfica-Feirense-LIGA-NOS-201718-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Benfica-Feirense-LIGA-NOS-201718-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Benfica-Feirense-LIGA-NOS-201718-90m
Clique para ampliar

O Benfica manteve a pressão nos rivais da frente, FC Porto e Sporting, ao conseguir um triunfo suado diante do Feirense, por 1-0. O golo de Jonas, logo aos 11 minutos e depois de um bom arranque, fazia crer que as “águias” iriam rubricar uma boa exibição, mas os comandados de Rui Vitória deixaram-se “adormecer” à sombra da vantagem, permitindo ao Feirense chegar por várias vezes com perigo junto da sua baliza. Ainda assim, os “encarnados” conseguiram manter até ao fim a curta vantagem, muito por culpa de Svilar, que terminou o desafio com cinco defesas.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início de partida arrasador por parte do Benfica, coroado com um golo logo aos 11 minutos, pelo inevitável Jonas, numa jogada de insistência após um pontapé de canto. As “águias” marcavam ao terceiro remate, todos eles à baliza e de autoria do avançado brasileiro, numa altura em que contabilizavam 87% de posse e mais do sêxtuplo de passes do adversário (88-14).

  • O domínio madrugador do Benfica acabou por resfriar com o passar do tempo, de tal forma que, nos segundos 15 minutos, os “encarnados” não fizeram um único remate. O Feirense, por sua vez, crescia dentro de campo, levando já dois disparos (um à baliza) e 39% de posse.
  • Aos 40 minutos, Etebo obrigou, com um remate de longe, Svilar a “voar” para manter o Benfica em vantagem. O médio nigeriano era um dos destaques da sua equipa: um remate enquadrado, 23 passes (um deles para finalização) e 35 toques. No extremo oposto do campo brilhava o central Briseño, já com seis alívios.
  • Intervalo Após o arranque “explosivo” do Benfica, o Feirense conseguiu praticamente equilibrar as contas, chegando ao final da primeira parte com o mesmo número de remates do adversário, embora tivesse feito menos um disparo à baliza. Jonas, o autor do único golo da partida, liderava os  GoalPoint Ratings, com nota 5.7, a qual foi bastante penalizada pela ocasião flagrante desperdiçada. Com a mesma cotação surgia Svilar, que já levava duas defesas, tantas quanto Caio Secco 5.6, o melhor do Feirense na primeira parte.

  • O Feirense entrou melhor na segunda metade e obrigou Svilar a efectuar uma boa defesa – a terceira da noite, superando o guarda-redes rival – logo nos minutos iniciais. Ainda assim, o Benfica, terminou os primeiros 15 minutos com clara vantagem na posse de bola (63%-37%) e no capítulo da distribuição (84% de eficácia de passe contra 77% do Feirense).
  • Aos 70 minutos, havia um jogador em destaque no capítulo da distribuição: tratava-se de Tiago Silva, já com três passes para finalização, mais um do que o companheiro de equipa João Silva. Do lado do Benfica, nenhum jogador tinha mais do que um passe para finalização, o que demonstrava bem as dificuldades sentidas pelas “águias” para construir situações de perigo.

  • Já perto do apito final, o Benfica esteve muito perto do 2-0, mas Filipe Augusto acabou por não aproveitar a entrega de Krovinovic que, em apenas três minutos, conseguiu logo um passe para finalização. A equipa “encarnada” até rematou mais do que o Feirense na segunda parte, mas de forma ineficaz: dos sete disparos realizados, somente dois levaram a direcção da baliza, sendo que a equipa fogaceira terminou a partida com tantos remates enquadrados quanto os homens da casa (5-5).

O Homem do Jogo 👑

Num jogo sem grandes oportunidades, foi um defesa que mais se destacou. O veterano Luisão esteve em grande plano, não só a defender como também a distribuir jogo: às cinco intercepções e aos dez alívios, o capitão “encarnado” somou 72 passes (60 deles certos) e 89 toques – todos eles máximos da noite para a equipa benfiquista. Tudo somado, Luisão, que ainda ganhou um desarme dentro da área, conseguiu um 6.7 nos  GoalPoint Ratings, a nota mais alta da noite.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Caio Secco 6.4 – Fez quatro defesas, todas elas a remates de dentro da área, a que somou ainda uma recolha e duas saídas a solo. Tentou por 17 vezes o passe longo, acertando sete.
  • Jonas 6.2 – Voltou a decidir uma partida com um golo, o seu 12º do campeonato. Fez cinco remates, três deles enquadrados, e dois passes para finalização, um deles para ocasião flagrante de golo, e conseguiu um drible eficaz em duas tentativas. Ainda assim, a sua nota sai prejudicada pela ocasião flagrante desperdiçada.
  • Rúben Dias 5.9 – Exibição muito segura do jovem defesa. Acertou 94% dos seus passes (percentagem mais alta da noite), sendo que apenas falhou três das suas 13 entregas longas. Contabilizou seis acções defensivas, entre elas quatro intercepções.
  • Pizzi 5.2 – Esteve meia-hora em campo mas não conseguiu deixar a sua marca. Fez dois remates, ambos desenquadrados, e falhou os dois cruzamentos que realizou. Como nota positiva há o facto de ter colocado a bola na área contrária por seis vezes.
  • Salvio 4.9 – O extremo argentino teve a nota mais baixa da noite. Falhou uma ocasião flagrante de golo, foi feliz em apenas uma das suas quatro tentativas de drible e perdeu a posse 13 vezes.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner