o momento ilustrado por esta foto, juntamente com o golo que marcou, são o que fica na retina em relação à exibição de Franco Cervi em Kiev. De entre as várias soluções testadas no flanco esquerdo encarnado, o argentino tem sido a mais consistente, e há um dado em particular que realça a sua importância.

O Benfica já sofreu cinco golos na Champions League, mas com Franco Cervi em campo sofreu… zero. Tendo em conta a sua posição avançada no terreno, podiamos ser levados a pensar que se trata apenas de uma coincidência, mas olhando a mais dados concretos, percebe-se que um dos segredos pode estar no trabalho defensivo do endiabrado “Chuky”.

No quadro seguinte temos os jogadores com mais tentativas de desarme por 90 minutos na Champions League, e num top dominado por médios de características defensivas, Franco Cervi aparece surpreendentemente na quinta posição!

#JogadorClubeTentativas desarme / 90mDesarmes / 90m
1GolovinCSKA Moscow10.75.4
2WernbloomCSKA Moscow10.06.0
3KramerM’gladbach9.96.2
4CoquelinArsenal7.85.0
5CerviBenfica7.64.1
40AdrienSporting5.02.8
105OtávioPorto3.32.6

Fonte: GoalPoint.pt / Opta

De entre as 7,6 tentativas de desarme, Cervi concretiza apenas 4,1 eficazmente, número que ainda assim o coloca como o extremo com mais desarmes da Champions League e que dá uma ideia da capacidade de trabalho de “Chuky”.

Os números tornam-se ainda mais impressionantes quando comparados com os dos outros extremos testados pelo Benfica do lado esquerdo. Tanto Pizzi como André Carrillo, fazem apenas 1,3 tentativas de desarme a cada 90 minutos, quase seis vezes menos que Franco Cervi.

É curioso reler agora o que escrevemos em Julho, no início da pré-temporada, quando analisámos o reforço ex-Rosario:

“Outro dos pontos a favor do jogo de Cervi é a propensão defensiva elevada que já demonstra na sua idade, registando uma média de quatro acções defensivas por jogo, sendo 3.2 delas acções de desarme, algo que certamente Rui Vitória valorizará”

Como quase sempre, os números dão-nos pistas indiscutíveis para o que podemos esperar dos jogadores, e bem analisados podem ser a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma contratação. Os de Cervi, não deixavam grandes dúvidas a médio-prazo, e o argentino já o começou a confirmar.