Com um terço da Liga NOS 16/17 decorrido, e após publicarmos o Barómetro GoalPoint comparativo do desempenho de Benfica, Porto e Sporting, chega a altura certa de aferir o desempenho dos candidatos face ao que fizeram na época passada, uma das mais competitivas dos últimos anos.

Avançamos sem mais demoras para o “check-up” GoalPoint à 11ª jornada.

SL Benfica
Um voo menos certeiro mas mais objectivo

goalpoint-check-up-benfica-liga-nos-201617-j11-infog
Clique para ampliar

O caso do Benfica já é conhecido e previsível, ou não liderassem as “águias” a prova, enquanto, em 2015/16, registavam por esta altura um atraso de nada menos do que sete pontos face ao Sporting. O que mudou?

Curiosamente o Benfica desta época apresenta um paradoxo interessante: está menos eficaz no aproveitamento dos remates que soma (13% de concretização), o que não é estranho dada a ausência do incontornável Jonas, mas até remata mais, precisamente mais dois remates em média em cada jogo. É caso para dizer que, na ausência do “profeta” das (actualmente) longas barbas, os discípulos se uniram para alvejar a baliza com maior frequência.

Para lá dos dados apresentados na infografia, que indicam uma tendência global de melhoria ou manutenção dos indicadores médios com que o Benfica (já campeão) encerrou a época 15/16, importa referir que os “encarnados” precisam, até agora, de realizar menos passes até criarem uma ocasião (39 contra 42 na época passada) e um remate (28 contra 31). Mesmo sem Jonas, Rui Vitória parece ir apresentando uma “águia” mais objectiva, ainda que menos concretizadora.

Na próxima página, os indicadores do Sporting