Gelson e Coentrão lideram “slalom” leonino ⛷

O Sporting apurou-se para a fase de grupos da Liga dos Campeões em grande estilo, com uma goleada por 5-1 na casa do Steaua. Para além dos números e da exibição fica também um registo leonino para a posteridade. O Sporting foi, das equipas que participaram no “play-off”, a que totalizou, entre os seus jogadores, o maior número de tentativas de drible e a que mais sucesso teve nesses mesmos lances. E há dois jogadores que contribuíram decisivamente para esse recorde.

GoalPoint-Reis-drible-play-off-UCL-201718-infog
Clique para ampliar

Gelson Martins foi o terceiro jogador que mais dribles conseguiu concretizar nas duas mãos do “play-off”. O extremo tentou o gesto em 16 ocasiões e teve sucesso em 12, um registo assinalável apenas superado pelas 13 fintas de Nwakaema (25 tentativas), do Hapoel Be’er Sheva, e pelas 14 de Alain Saint-Maximin (17), do Nice. Mas há outro “leão” a contribuir para os números colectivos (já lá vamos) do Sporting. Fábio Coentrão fez um belo jogo na Roménia e teve sucesso em oito dribles, em 14 tentativas, estando em quinto no “top 5”. Destaque também para o ex-benfiquista Carcela-González, agora no Olympiacos, em quarto lugar, com dez dribles eficazes.

Curioso o facto de tanto Gelson como Coentrão terem um registo de dribles tentados/conseguidos por cada 90 minutos superior na Liga dos Campeões em relação à Liga NOS, apesar da maior dificuldade da prova. Sendo certo que foram apenas dois jogos no “play-off”, é interessante realçar que Gelson tentou 8,5 dribles a cada 90 minutos na Champions (com sucesso em 6,4) e 5,7 no campeonato luso (sucesso em 3,3); Coentrão tentou 7,2 na Europa (4,1) e 2,7 na nossa Liga (1,1).

Os contributos de Gelson e Coentrão colocaram o Sporting no topo dos dribles no “play-off”. A equipa de Jorge Jesus teve acerto em 46 desses lances, os quais tentou em 64 ocasiões. A equipa lusa ficou à frente do Nice (35/50), Olympiacos (33/60), Hapoel Be’er Sheva (30/53) e Liverpool (29/50).