GoalPoint-Sporting-Barcelona-Champions-League-201718-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Barcelona-Champions-League-201718-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Barcelona-Champions-League-201718-90m
Clique para ampliar

O Sporting perdeu por 1-0 na recepção ao FC Barcelona, em jogo da segunda jornada do Grupo D da Liga dos Campeões. Mas a exibição leonina não desiludiu, antes pelo contrário. Perante um adversário poderoso, a equipa de Jorge Jesus não conseguiu dominar, mas lutou e rematou muito e teve as suas ocasiões para marcar, valendo aos visitantes a defesa organizada que apresentaram em Alvalade, que obrigou os “leões” a apostar nos remates de longe. Messi esteve longe dos seus melhores dias, muito por culpa da boa exibição lusa.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Grande domínio inicial do Barcelona, que chegou aos dez minutos com 79% de posse de bola, 88% de eficácia de passe contra 60% do Sporting – que levava, nesta altura, quatro faltas cometidas e um amarelo, a Gelson Martins. Nenhum remate nesta fase.

  • Sporting foi reagindo e, por volta dos 20 minutos, já tinha 31% de posse e um remate (Barça dois). O único enquadrado pertencia ao Barça, da autoria de Messi. Em termos de luta “o leão” fazia jus ao nome, com 11 duelos individuais ganhos em 21, o que originou seis faltas e dois amarelos.
  • Primeiro remate enquadrado do Sporting aos 29 minutos, da autoria do inevitável Bruno Fernandes. Pela meia-hora o médio era o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 5.5. Messi, com 5.0, pouco ou nada tinha feito.

  • Intervalo O Sporting apresentou-se “guerreiro” na primeira parte. Os catalães dominaram o encontro nesta fase, com 71% de posse de bola, e nos minutos finais causaram algum perigo, mas não conseguiram mais do que cinco remates, os mesmos dos “leões”, embora com mais enquadrados (3-1). Os cinco disparos dos portugueses aconteceram de fora da área, o que demonstra a boa organização dos espanhóis. O melhor nos primeiros 45 minutos era Bruno Fernandes, com um GoalPoint Rating de 6.0. O médio registou três remates, tantos quanto Messi. O argentino até enquadrou mais um disparo (2) e teve sucesso nos três dribles que tentou, mas os remates de Fernandes aconteceram de fora da área e ainda fez um desarme e uma intercepção.

  • Reinício perfeito para o Barcelona. Logo aos 49 minutos, na cobrança de um livre da direita, a bola foi desviada na grande área por Coates, que assim fez autogolo. Momento de infelicidade do uruguaio, que antes já somava um rating modesto, de apenas 4.9, pois havia realizado apenas uma acção defensiva, um desarme, e registava 69% de passes certos, algo baixo para um central.
  • Para além do golo, pouco mudou no reatamento, Barcelona com mais bola, 70%, nenhum remate nos primeiros 15 minutos do segundo tempo e muita luta, em especial por parte do Sporting, que somava 17 faltas até esta fase.
  • “Leões” com dificuldade em acercar-se da baliza do Barcelona e só aos 71 minutos conseguiram rematar no segundo tempo, por Bruno Fernandes, que atirou forte para magnífica defesa de Ter Stegen. Foi a melhor oportunidade do Sporting.

  • Aos poucos o Sporting começou a assumir mais o jogo, chegando aos 37% de posse na segunda parte, por volta dos 80 minutos. Nesta fase tinha já quatro disparos na etapa complementar, contra dois do Barcelona (ambos com um enquadrado). Mas a experiência catalã acabou por segurar a vantagem.

O Homem do Jogo 👑

Mais um belo jogo de Bruno Fernandes. O médio não se deixou amedrontar pelo nome do adversário e foi o melhor em campo em Alvalade. Foi o mais rematador da partida, com sete disparos, três deles enquadrados, sendo que seis deles registaram-se de fora da grande área. Teve ainda sucesso em dois de três tentativas de drible, ganhou nove de 15 duelos e ainda fez quatro desarmes, duas intercepções e recuperou sete vezes a bola. Merecia o golo. Terminou com um GoalPoint Rating de 7.2.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Battaglia 6.2 – Grande jogo do médio. Foi o segundo melhor em campo, graças a uma exibição de luta e inteligência táctica, que dificultou a tarefa de Messi. Terminou com quatro desarmes e outras tantas intercepções, recuperou seis vezes a bola e fez um passe para finalização.
  • Mathieu 6.1 – Fez um jogo de “raiva”. Muito motivado ante a sua antiga equipa, o francês esteve imperial a defender, com sete recuperações, três desarmes, duas intercepções e cinco alívios. E houve aquele corte no último momento quando Messi se preparava para marcar.
  • Rui Patrício 6.0 – Evitou uma derrota mais expressiva. O guardião leonino saiu-se sempre bem de entre os postes e terminou com cinco defesas, três a remates dentro da área, uma saída pelo solo e uma recolha.
  • Lionel Messi 6.0 – Querem saber como jogou o astro argentino? Assim-assim. Poderia ter marcado, mas Mathieu não deixou. Foi o segundo mais rematador do encontro, com cinco disparos, dois enquadrados, e teve sucesso em quatro de sete dribles. Porém, espante-se, registou três controlos de bola deficientes, foi desarmado cinco vezes e registou 24 perdas de posse.
  • Gerard Piqué 6.0 – O melhor do Barcelona. Fez seis alívios, acertou 93% dos passes somou 90 interacções com bola. Não comprometeu, mas também não brilhou. Como ninguém do Barça, aliás.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner