GoalPoint-Sporting-Juventus-Champions-League-201718-Ratings
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Juventus-Champions-League-201718-MVP
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Juventus-Champions-League-201718-1-SCP-MVP
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Juventus-Champions-League-201718-90m
Clique para ampliar

O Sporting esteve perto de bater a Juventus, em Alvalade, e ultrapassar a formação transalpina no Grupo D da Liga dos Campeões. Uma excelente primeira parte leonina deu esperança aos muitos adeptos que encheram o estádio, com o golo de Bruno César. Contudo, os visitantes realizaram uma segunda parte autoritária, com muita posse e remates, e conseguiram empatar. Resultado que Rui Patrício segurou com mãos de ferro. Sporting continua a três pontos da Juve.

O Jogo explicado em Números 📊

  • A Juventus tentou, desde cedo, guardar a bola, assumir a iniciativa e estabelecer o ritmo (lento) da partida. O Sporting, por seu turno, tentava combinações e rápidas trocas de bola nas progressões, para desmontar a organização italiana.
  • Os visitantes chegaram aos dez minutos com 66% de posse, mas o primeiro remate da partida pertenceu ao Sporting, aos 11 minutos, por Bruno César, desenquadrado. Era uma antevisão do que estava para vir.

  • Aos 20 minutos, o Sporting podia ainda não dominar territorialmente, mas era a única formação que rematava, e ao quinto disparo (dois no mesmo lance), Bruno César fez golo, em recarga a um primeiro “tiro” de Gelson Martins, defendido por Buffon.
  • A Juve fez o primeiro remate aos 22 minutos, por Khedira, de cabeça, ao lado, e à meia-hora os “leões” já haviam chegado aos 44% de posse, com cinco remates, dois enquadrados. Os transalpinos viam-se numa “teia”, de nada lhes valendo os 89% de posse de bola.

  • Bom jogo dos dois Brunos, Fernando e César. Por volta dos 40 minutos, o primeiro registava um rating de 6.0 e era o melhor em campo, com dois passes para finalização e 88% de eficácia de passe; o brasileiro somava 5.9, com um golo em dois remates.
  • Intervalo Vantagem leonina ao intervalo totalmente justificada, perante o futebol ofensivo apresentado por ambas as equipas. Apesar dos 58% de posse de bola, a Juve só conseguiu rematar duas vezes, e desenquadradas, enquanto os “leões”, a jogarem em rápidas transições, chegaram ao descanso com cinco disparos, dois enquadrados. O melhor nesta fase era Battaglia. O médio argentino do Sporting registava um GoalPoint Rating de 6.1, graças a sete acções defensivas – três desarmes, uma intercepção e três alívios.

  • Juve transfigurada após o descanso, ao ponto de registar cinco remates (um enquadrado) nos primeiros dez minutos do segundo tempo, para além de 66% de posse – Sporting sem conseguir sair do seu meio-campo.
  • Aos poucos os “leões” conseguiram sacudir a pressão dos campeões italianos, embora não a posse de bola, pois o domínio da Juve expressava-se em 71% de posse na segunda parte, por volta dos 65 minutos. Porém, os espaços para rematar começavam a escassear.
  • Aos 69 minutos, Gonzalo Higuaín cabeceou para golo, mas Rui Patrício fez uma defesa impressionante, festejada em Alvalade como se de um tento se tratasse. Foi a terceira intervenção do guarda-redes português, que está em grande forma.

  • Numa altura em que o jogo parecia controlado por parte do Sporting, Higuaín surgiu para empatar, aos 79 minutos. O argentino acorreu a um belo passe de Cuadrado e picou a bola sobre Patrício.
  • Estava feito o resultado, que no final já parecia lisonjeiro para os portugueses… É que a Juve fez 14 remates na segunda parte, cinco enquadrados, contra duas tentativas dos homens de Alvalade, e registou 76% de posse.

O Homem do Jogo 👑

A primeira parte da Juventus foi discreta, tal como a de Miralem Pjanic. Mas a segunda foi o oposto. Muito por culpa, também, da subida de rendimento do médio bósnio. Pjanic acabou como o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 7.2, mercê de espantosos sete passes para finalização, 88% de eficácia de passe, 111 interacções com a bola (o máximo do jogo), 14 recuperações de bola e três intercepções.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Rui Patrício 6.4 – Mais uma belíssima exibição do guardião leonino, que evitou males maiores para a sua equipa, com quatro defesas, duas a remates de dentro da área, e uma delas verdadeiramente sensacional, a cabeçada de Higuaín.
  • Alex Sandro 6.4 – O antigo lateral do FC Porto esteve em bom plano, em especial a defender. O brasileiro ganhou dez dos 12 duelos individuais que disputou e registou oito desarmes e duas intercepções. E ainda fez três cruzamentos, um deles com eficácia.
  • Juan Cuadrado 6.4 – Um verdadeiro “diabo” à solta. O extremo colombiano fez a assistência para o golo de Higuaín, num total de três passes para finalização, tentou o drible por seis vezes, com sucesso em duas, e registou 92% de eficácia de passe.
  • Bruno César 5.9 – O brasileiro tem o condão de marcar em jogos importantes. Já o fizera ante o Dortmund e o Real Madrid, na época passada, e agora facturou ante a Juventus. César fez três remates, só um enquadrado, e registou 86% de eficácia de passe.
  • Gelson Martins 5.4 – Jogo esforçado de Gelson. Trabalhou e correu muito, esteve no lance do 1-0, fugiu em velocidade aos defesas da Juventus e registou dois dribles eficazes em quatro tentativas, mas não conseguiu ser decisivo, pois não registou qualquer passe para finalização.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner