A Liga das Nações da UEFA acabou por ser um autêntico sucesso, com jogos competitivos, cheios de golos e entretenimento. Para além de ter sido dado a selecções menores um foco absolutamente inédito, ainda nos deu a oportunidade de descobrir novos talentos, sobre os quais nos vamos debruçar neste artigo. Seleccionámos dez jovens ainda com valor de mercado relativamente baixo e que podem ter aproveitado esta prova para darem um salto na carreira.

Mykola Matvyenko – Shakhtar Donetsk – Ucrânia

GoalPoint-UEFA-Nations-League-2018-Mykola-Matvyenko-infog
Clique para ampliar

Agora a ter minutos consistentes sob a alçada de Paulo Fonseca no Shakhtar, Mykola Matviyenko esteve em bom plano na lateral-esquerda ucraniana durante esta primeira edição da Liga das Nações. Com bola somou 1,3 passes para finalização e muito sucesso (50% de eficácia) nas vezes que chegou ao corredor para executar cruzamentos. Sem bola conseguiu 2,0 desarmes, 3,0 alívios e 1,5 intercepções. Apesar do trabalho defensivo, cumpriu toda a prova sem cometer uma única falta.

Elif Elmas – Fenerbahçe – Macedónia

GoalPoint-UEFA-Nations-League-2018-Elif-Elmas-infog
Clique para ampliar

Nascido a Setembro de 1999, Elmas é o jogador mais jovem desta lista. Com 92% de eficácia de passe, 89% no meio-campo contrário e 79% no último terço, é muito seguro neste momento do jogo. Elmas mostra ainda bastante qualidade na progressão, não só a nível de passe, mas também em posse, através dos seus 1,2 dribles eficazes,  sendo que a maioria destes ocorrem a penetrar no último terço do terreno adversário. Ganha ainda muito mais faltas (2,4) do que comete (1,5) – algo óptimo para um jogador da sua posição.

Egzon Bejtulai – Shkendija – Macedónia

GoalPoint-UEFA-Nations-League-2018-Egzon-Bejtulai-infog
Clique para ampliar

Egzon Bejtulai: o lateral-direito da Macedónia, que joga no Shkendija (líder do campeonato local) e que tirou partido da lesão do sportinguista Ristovski para se mostrar na selecção, não tem um nome fácil de pronunciar ou mesmo fixar, mas poderá ser uma autêntica pechincha tendo em conta as exibições nesta competição. Com 4,8 cruzamentos de bola corrida e 32% de eficácia neste momento do jogo, para além de 80% de eficácia de passe no último terço, foi uma opção importante no apoio ofensivo à sua equipa. Defensivamente caracterizou-se por um enorme número de intercepções (3,3), para além de não ter consentido um único drible.

Vedad Muriqi – Rizespor – Kosovo

GoalPoint-UEFA-Nations-League-2018-Vedat-Muriqi-infog
Clique para ampliar

O primeiro homem do Kosovo nesta lista é Vedad Muriqi, ponta-de-lança do Rizespor, da Turquia, e que esta temporada já soma três golos e duas assistências na Liga daquele país. As suas exibições pela selecção são, no entanto, de outro nível. Com 2,4 remates (todos na área), dos quais enquadrou todos (100%… mesmo) os que fez com os pés, e 1,1 ocasiões flagrantes por jogo, demonstrou excelente capacidade a chegar a terrenos férteis para finalização. Utilizou os seus 1,94 metros de altura para vencer 55% dos seus duelos aéreos ofensivos e somou 1,1 remates de cabeça. Um verdadeiro “target man”.

Elia Benedettini – Novara – São Marino

GoalPoint-UEFA-Nations-League-2018-Elia-Benedettini-infog
Clique para ampliar

Poucos seriam aqueles a acreditar que alguma vez teríamos um jogador de San Marino numa secção de destaques positivos, mas há mesmo uma primeira vez para tudo. Elia Benedettini, o guardião do Novara, da Série C, teve muito trabalho pela frente e mostrou serviço. Foram 6,7 defesas por 90 minutos, 71% de remates enquadrados defendidos, 61% de remates enquadrados na área defendidos e 83% de defesas seguras. Aos 23 anos, vai utilizando a sua selecção como palco para se tentar catapultar para outro nível competitivo.

Na próxima página: o “top 5”