O regresso das selecções nacionais motivou um mês de Março mais curto que o habitual, na Liga NOS. Assim, o “onze” ideal GoalPoint Ratings deste período poderá surpreender mais do que o habitual. No entanto, há merecidos destaques neste lote, e passamos a detalhar os porquês.

A equipa do mês da Liga NOS | Março 2016
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

A baliza é ocupada por Ederson que, lançado às feras no derby de Alvalade, manteve as suas redes invioláveis, vindo a sofrer apenas um golo nos três jogos em que actuou. No mesmo período fez um total de cinco defesa e terminou com a melhor média de defesas por golo sofrido, à frente de Raúl Gudiño, do União da Madeira.

Na defesa, dois laterais com selo bracarense. Marcelo Goiano continua a fazer-se notar como um dos melhores laterais da Liga, apenas atrás de Miguel Layún, e foi em Março o lateral que mais ocasiões de golo criou por jogo (2,5), juntando a isso também a liderança no número de intercepções a cada 90 minutos (7,5). Do lado esquerdo aparece Joãozinho, do União da Madeira, ainda emprestado pelo Braga, e que foi este mês o jogador com mais acções defensivas por jogo, 15, e também o lateral que mais duelos ganhou, dez.

A dupla de centrais também se destacou no ataque e na defesa. Gonçalo Silva, do Belenenses, marcou dois golos, tantos quantos tinha feito no resto da sua carreira profissional, e juntamente com Fábio Cardoso foi o central com mais intercepções por 90 minutos (6,5). Fábio Cardoso, recentemente eleito melhor central português da Liga NOS, fez uma média de um remate por jogo em Março, todos eles de cabeça e sempre enquadrados com a baliza.

FC Porto com forte presença

O meio-campo é composto pelo jogador do mês, Sérgio Oliveira, mas também por um médio-defensivo muitas vezes incompreendido no Braga, Mauro, mas que esteve em grande nível em Março, com uma eficácia de passe de 91% e de duelos de 86%, o melhor entre todos os jogadores da Liga. Para além disso foi ainda o médio que mais oportunidades de golo criou a cada 90 minutos, três.

As alas são 100% “azuis-e-brancas”, com os grandes dribladores da Liga, Brahimi e Corona, a ocuparem as duas vagas, graças não só a isso mas também à frequência com que criaram oportunidades de golo no tempo em que jogaram, 2,3 e 3,0, respectivamente. Corona fez ainda um golo e uma assistência, enquanto Brahimi esteve muito rematador, com uma média de 3,7 por cada 90 minutos.

A dupla de avançados é composta pelo muito falado Léo Bonatini, que marcou dois golos e ainda sofreu uma grande penalidade, e pela surpresa do Boavista, Zé Manuel, que foi surpreendentemente titular nos Barreiros e, com dois golos e uma assistência nesse jogo, arrancou um GoalPoint Rating (GPR) de 8,2, que quase lhe garantiu automaticamente a presença neste “onze”.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.