O médio benfiquista Gabriel está fora dos planos de Laje, e provavelmente por muito tempo. Tendo em conta o tipo de lesão (ocular) que afecta o brasileiro, as opiniões de especialistas divulgas da imprensa e o histórico de casos anteriores em futebolistas é quase certo que o jogador terá dado por encerrada a época 19/20.

O principal prejudicado é obviamente o próprio Gabriel, mas a nossa especialidade é quantificar o quanto valia o seu futebol ao serviço do Benfica e, consequentemente, o que vão os “encarnados” perder com a sua ausência. Começamos pela visão geral do “CV” do brasileiro na Liga NOS 19/20, para em seguida listar cinco factos que dão conta do quão importante é no desempenho benfiquista.

Clique para ampliar

Estes números soltos dizem-lhe pouco? Então vamos a cinco factos rápidos sobre o desempenho de Gabriel Pires na Liga 19/20.

É o jogador que mais recuperações de bola soma no plantel

Com cerca de oito recuperações de bola a cada 90 minutos, Gabriel é o jogador que mais retoma jogo no Benfica, entre os nomes nucleares para Lage (com pelo menos 1.000 minutos jogados, o critério que usaremos a partir de agora em todos os destaques apresentados).

É a segunda “águia” que mais e melhor desarma adversários

Com 3,4 desarmes a cada 90 minutos, 1,9 completos (ou seja garantindo a posse), o médio é o segundo jogador mais produtivo em ambos os indicadores referidos, sendo que o jogador que o bate é ao mesmo tempo uma surpresa para muitos, mas também um nome muito falado no rescaldo do dérbi do Dragão: Franco Cervi.

É o que mais intercepta passes adversários

Com Cervi mais uma vez a “morder-lhe” os calcanhares, no capítulo da antecipação e intercepção de passes adversários, nenhum benfiquista faz mais do que Gabriel, com cerca de duas intercepções a cada jogo completo. Num tema ainda relacionado, o médio é ainda o que mais passes bloqueia (1,1) e o terceiro que mais remates impede, aqui naturalmente atrás dos centrais Rúben Dias e Francisco Ferro, com um bloqueio a cada 180 minutos.

É a maior garantia aérea defensiva da equipa

Sendo que nem sempre a altura é sinónimo de qualidade na disputa de bolas aéreas, os 1,87m de Gabriel são muito bem aplicados, sendo o brasileiro não só o benfiquista que mais duelos aéreos disputa (3,4) como também o que os ganha com mais eficácia (71,1%), entre os mais solicitados neste domínio. Em jeito de comparação refira-se que Rúben Dias (1,87m) fica bem próximo na eficácia (70,8%), mas por exemplo Ferro (1,92m) fica-se pelos 56%.

É o terceiro melhor GoalPoint Rating “encarnado”

A esta altura, e mesmo sabendo que o nosso rating traduz muito mais do que o que destacámos anteriormente, o leitor já não se admirará se lhe dissermos que Gabriel Pires é, neste momento, o terceiro melhor rating benfiquista da época, com 6,24, atrás apenas de Carlos Vinícius e Pizzi, o que traduz num só indicador um desempenho que vai bem mais longe do que o que escolhemos para o fundamentar. A “ficha” do “8” benfiquista inclui méritos tão variados como o facto de ser o que mais acções defensivas completa (1,3) ainda no terço defensivo adversário ou ainda um dos dribladores mais eficazes da equipa, com cerca de 64% em cerca de duas tentativas a cada 90 minutos.

Sendo certo que os problemas defensivos do Benfica têm ganho importância nas últimas semanas (sendo um tema que provavelmente iremos abordar em análise futura), o afastamento de Gabriel é uma “dor de cabeça” que Lage saberá ser muito mais abrangente, no que toca à manobra da equipa, do que apenas no plano defensivo, um problema que os números individuais do médio ajudam a quantificar na sua real dimensão. Veremos, muito em breve, como irá o treinador “encarnado” fazer face a este desafio.