A Liga NOS 2018/19 terminou, com os mais variados rescaldos e análises aos grandes protagonistas individuais e colectivos, alguns dos quais com a chancela GoalPoint, como o último Especial Expresso Benfica Campeão. O olhar para o que se passou nas 34 jornadas pode ser feito de diversos ângulos, de vertentes quase intermináveis, e uma delas é através daqueles que, ao longo destes meses, superaram-se (e aos outros) nos diversos detalhes do jogo.

Eis os principais “tops” individuais da Liga que agora terminou. Para cada posição há variáveis que ajudam a perceber quais foram os melhores executantes em determinados momentos do jogo, da baliza ao jogador mais avançado no terreno. Tal como fizemos quando terminou a primeira volta da Liga – pode consultar aqui os “tops” que publicámos então, para comparar com os finais -, apresentamos 26 “top 5” (sim, o título fala em 25 mas o número exacto ficava mal no “boneco”), nos quais surgem destacados os jogadores mais eficazes nos tais momentos importantes. E é caso para dizer que, tal como muita coisa mudou na classificação com a viragem do campeonato, também em termos individuais as coisas não se mantiveram iguais. Veja por si mesmo.

O jogo passou por eles

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Accoes-Bola-90m-infog
Clique para ampliar

Porto (57,7%) e Benfica (56,7%) foram as equipas que mais posse de bola tiveram em média na Liga, pelo que não espanta que os dois emblemas coloquem quatro jogadores no “top” daqueles que somaram mais acções com bola a cada 90 minutos, três deles dos “encarnados”, sendo dois os laterais, por onde a equipa de Bruno Lage canalizava grande parte do seu jogo ofensivo. O espanhol Grimaldo foi o homem mais interventivo na Liga 2018/19.

“Seguro de vida” na baliza

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Percentagem-Remates-Defendidos-90m-infog
Clique para ampliar

Qualquer equipa de alta competição precisa de mãos firmes na baliza. O futebol do Vitória de Guimarães foi sempre virado para a frente, e neste caso é uma segurança ter quem garanta que a baliza está bem fechada. Douglas de Jesus foi o guardião com melhor percentagem de remates defendidos, e dos “grandes” só Vlachodimos integra o “top”.

Sem descanso entre os postes

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Defesas-90m-infog
Clique para ampliar

Helton Leite foi o segundo guardião com mais defesas por 90 minutos na primeira volta e, apesar da lesão grave, termina no primeiro lugar no final da prova. O boavisteiro termina porém com o mesmo registo de Charles, o brasileiro do Marítimo que passou quase toda a primeira volta no banco, mas foi determinante na manutenção dos insulares na Liga, na recta final.

“Não há pai” para Felipe

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Duelos-Aereos-Defensivos-Ganhos-90m-infog
Clique para ampliar

Nem nas principais Ligas europeias alguém foi melhor que o brasileiro nesta variável. Felipe dominou o “espaço aéreo” em Portugal e não só, com 85,8% de duelos aéreos defensivos ganhos. Só Pepe aproximou-se do colega de equipa no nosso campeonato, numa demonstração do poderio defensivo que os “dragões” mostraram toda a época.

Para a bancada, se for preciso

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Alivios-90m-infog
Clique para ampliar

Quando a coisa aperta, o melhor é não complicar. Esta é uma máxima transversal a todas as equipas, mas em especial naquelas que são alvo de maior pressão adversária. Foi o caso do Boavista em diversos jogos, com o brasileiro Neris a não ter pruridos em atirar a bola “para as couves”, se necessário. Um autêntico “alívio”, que já o era na primeira volta.

Antes de ser já era

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Passes-Interceptados-90m-infog
Clique para ampliar

Em todas as equipas há aqueles que lêem o jogo melhor que os demais e antecipam o que vai acontecer, aproveitando para interceptar passes adversários. Tal como no caso dos alívios, o boavisteiro Neris dominou nas intercepções, mostrando que a sua qualidade defensiva não se limita à acção mais “feia”. Destaque também para um médio que realizou uma excelente época e é o único jogador neste “top 5” que não actua no sector defensivo, Fábio Pacheco.

A mais “nobre” das acções defensivas

GoalPoint-Tops-Liga-NOS-201819-Desarmes-90m-infog
Clique para ampliar

O desarme é uma acção defensiva que não é para todos. Muitos limitam-se ao alívio, outros tentam roubar a bola aos seus adversários. Neste pormenor, ninguém foi melhor que o nacionalista Nuno Campos, numa equipa que apresentou sempre grandes problemas defensivos. Seguiu-se Bebeto, do rival do Marítimo, num “top” que volta a ter Fábio Pacheco, mas também Marcelo Goiano, que em Outubro chegou a liderar entre os que mais desarmam na Europa.

Na próxima página: o drible e o “passe de bandeja”