O campeão já estava há muito definido, mas nem por isso o último dia da Premier League 19/20 foi desprovido de emoção, bem pelo contrário. Faltava definir o acesso europeu (via Liga), bem como quem acompanhava o Norwich rumo ao Championship. No topo, o Chelsea ainda ameaçou ficar com o terceiro posto, colocando o United a um golo de tombar para fora dos lugares da Champions, mas o tento de Bruno Fernandes, seguido do de Lindegard já nos descontos, concluíram da melhor forma um final de época positivo para os “red devils”. A desilusão ficou para as “raposas” de Leicester, que se ficam pela fase de grupos da Liga Europa.

[ Fora destas contas brilhou De Bruyne, com mais uma exibição de sonho ]

Quem também sorriu foi Mourinho que, apesar de empatar, ultrapassou os “lobos” de Nuno Espírito Santo, ficando com o lugar de acesso à qualificação para a Liga Europa. No entanto a história ainda não acabou para NES: o Wolves ainda tem duas vias para voltar à Europa em 20/21 pois não só está ainda em prova na UEL (se ganhar vai à Champions), como terá acesso à qualificação da Liga Europa caso o Chelsea bata o Arsenal na final da Taça de Inglaterra.

Por fim, na cauda da tabela, a sorte sorriu ao Aston Villa, ao qual bastou um empate na visita ao West Ham para segurar a permanência. O Bournemouth ainda venceu o Everton fora, ao mesmo tempo que o Watford tentou reagir aos três golos do Arsenal, mas nada feito: os dois clubes descem ao segundo escalão após respectivamente cinco e quatro anos na Premiership.

Confira em baixo todos os ratings dos jogos decisivos da tarde. Mas, antes disso, eis os ratings dos portugueses da Premier:

Leicester 🆚 Manchester United: Bruno abriu caminho

Clique para ampliar

Chelsea 🆚 Wolves: “Lobos” de NES tombam em Londres

Clique para ampliar

Crystal Palace 🆚 Tottenham: um ponto bastou a Mourinho

Clique para ampliar

West Ham 🆚 Aston Villa: “Leões” salvam-se da descida

Clique para ampliar

Arsenal 🆚 Watford: “Hornets” tentaram mas tombaram (no Championship)

Clique para ampliar

Everton 🆚 Bournemouth: vitória “amarga” para os “cherries”

Clique para ampliar