GoalPoint-Germany-Suécia-WC2018-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Germany-Suécia-WC2018-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Germany-Suécia-WC2018-90m
Clique para ampliar

A  Alemanha chegou a estar fora do Mundial mas acabou por arrancar três pontos vitais no embate contra a Suécia. E conseguiu-o de forma dramática. Após estar a perder desde a primeira parte, os campeões do Mundo partiram para cima do seu adversário, empataram, viram-se em inferioridade numérica e, quando já toda a gente pensava no empate, o incrível Toni Kroos fez o 2-1, no último minuto da compensação. Tudo por decidir na derradeira jornada.

Entrada autoritária da Alemanha. Após a derrota ante o México, era obrigatório os germânicos vencerem os suecos. A verdade é que por volta dos 20 minutos, a “mannschaft” registava impressionantes 88% de posse de bola, algo que apenas começou a cair por volta dos 25. E foi no processo de tentar controlar o jogo que os nórdicos marcaram. Aos 32 minutos, Viktor Claesson lançou Ola Toivonen e este bateu Manuel Neuer para o 1-0, colocando-lhe a bola por cima. Os campeões do Mundo estavam em sérias dificuldades e assim foram para o descanso.

A Suécia já tinha recuperado a posse para os 25% aproveitando uma longa vantagem numérica por lesão de Rudy, mas era no controlo do jogo e na consistência defensiva que baseavam a sua vantagem. O melhor em campo na primeira metade era Mikael Lustig, sueco que registava um rating de 6.0.

A reacção alemã veio logo no arranque do segundo tempo. Aos 48 minutos, cruzamento da esquerda de Timo Werner, ninguém afastou, Mario Gómez tocou ligeiramente na bola, o suficiente para a fazer chegar a Marco Reus, e este atirou a contar para o 1-1. Estava lançada uma segunda parte de grande pressão alemã, em busca de um triunfo tão necessário às suas aspirações.

Essa procura pelo golo não estava a dar frutos, e pior ficou a Alemanha quando Jérôme Boateng viu o segundo amarelo e deixou a sua equipa com dez elementos. Ainda assim, a equipa não desistiu, continuou a dominar e a rematar – um dos disparos defendido por Robin Olsen de forma espantosa, outro devolvido pelo poste – e acabou por ser premiada. No derradeiro minuto do tempo de compensação (95′), Toni Kroos fez o 2-1 para os germânicos, na sequência de um livre cobrado por Reus. Um resultado que deixa as duas equipas empatadas com três pontos e com tudo em aberto para a terceira jornada.

O melhor em campo só podia ser Kroos. O médio foi o coração, a alma, o mentor e o executor de todo o futebol da equipa, terminando com um GoalPoint Rating de 9.6, o segundo mais elevado deste Mundial até ao momento. Para além do tento, Kroos fez quatro remates, dois passes para finalização, dois cruzamentos certos (em duas tentativas), acertou 113 dos 121 passes que realizou (93%) – incluindo a totalidade dos 17 longos que fez -, somou incríveis 144 acções com bola (o segundo teve 114), completou as três tentativas de drible e ainda recuperou a bola dez vezes. Incrível!

GPR-contest-World-Cup-2018-leaderboard-1