Alemanha vs. Argentina: a selecção natural

A “mannschaft” e a “albiceleste” chegam à grande final com naturalidade. Duvida? Confira os números.

Uns rematam mais, outros melhor

 

Apesar do último jogo colocar o desempenho germânico para lá do alcancável a sua eficácia dentro da área já vinha sendo construída (foto: Shutterstock/AGIF)
Apesar do último jogo colocar o desempenho germânico para lá do alcancável a sua eficácia dentro da área já vinha sendo construída (foto: Shutterstock/AGIF)

Apesar do nulo ante a Holanda, a selecção das “Pampas” surge na final como a que mais remata, com 16,3 por partida contra 14,8 dos germânicos. Mas tal como nos golos (e já assim sucedia antes do “Mineiraço”), são os germânicos a liderar na hora de contabilizar o acerto à baliza, com 9,2 remates por jogo contra apenas 7,5 dos argentinos (os menos certeiros e menos concretizadores dos quatro adversários que discutiram as “meias”). A Alemanha destaca-se também por marcar muito mais dentro da área, com 16 dos seus 17 golos a serem obtidos desta forma, pulverizando também qualquer intenção de comparação no que respeita à taxa de aproveitamento dos remates: uns impressionantes 19%, contra apenas 8,2% dos argentinos e próximo apenas da finalista vencida Holanda com 14,8%.

 ArgentinaAlemanha
Remates9889
Remates Enquadrados45,155,2
Eficácia de Remate (%)46%62%
Remates (m p/jg)16,314,8
Rem. Enquadrados (m p/jg)7,59,2
Remates dentro da área5760
Rem. Área (m p/jg)9,510
Golos marcados817
Golos (m p/jg)1,32,8
Aproveitamento (%)8,2%19,1%
Golos de cabeça02
Golos dentro area516
Golos fora da área31
Golos de bola parada26
Golos de canto14
Golos de penalty01