Análise: Está Lionel Messi a ter um Mundial apagado?

Alguma crítica refere que Lionel Messi não está a cumprir as expectativas, à imagem do que sucedeu no final da época finda no Barcelona. Mas uma análise atenta ao seu desempenho indica precisamente o contrário.

Messi pode ainda não ter conquistado a crítica mas o seu desempenho demonstra que não foi ao Brasil passar férias (foto: Shutterstock/Celso Pupo)
Messi pode ainda não ter conquistado a crítica mas o seu desempenho demonstra que não foi ao Brasil passar férias (foto: Shutterstock/Celso Pupo)

De jogadores como Lionel Messi e Cristiano Ronaldo espera-se sempre o Olimpo quando chegam momentos como o Campeonato do Mundo. Cristiano já se despediu deste Mundial, sem corresponder às expectativas. Sobra Lionel Messi que, apesar do peso que vai tendo nos resultados da selecção “albiceleste”, tarda em ser reconhecido como uma das figuras do Mundial ou, pelo menos, ao nível que o seu passado exigiria.

A imagem discreta que as exibições de Lionel Messi têm deixado a olho nu terá talvez dois culpados evidentes: por um lado a própria selecção argentina, que tarda em registar “nota artística” assinalável nas suas exibições colectivas (o jogo com a Suíça mostrou aliás uma Argentina mais afortunada que afirmante); e, por outro, um jovem colombiano que talvez muitos não esperassem que fosse neste momento reconhecido, com inteira justiça, como a figura máxima do futebol que se vai jogando no Brasil por estes dias.

Apesar de Messi amealhar já quatro distinções de Homem do Jogo FIFA em outros tantos jogos (marca igualada apenas por Arjen Robben até este momento), não fará sentido destacar apenas por isso o desempenho do número 10 argentino, tendo em conta que tal prémio é atribuído pelos adeptos por votação digital. Temos assim de olhar para dados mais objectivos de modo a perceber o real “brilho” do genial jogador neste Mundial e nada melhor do que compará-lo com o homem do momento, o colombiano James Rodríguez.

Analisemos então na página seguinte todos os dados de desempenho comparado entre os dois virtuosos sul-americanos.