Análise: O Dortmund de Klopp

Iniciamos uma série de análises das equipas e tácticas mais influentes do futebol internacional dos últimos anos com o Dortmund de Jurgen Klopp.

Jurgen Klopp é o rosto de um Dortmund que tem maravilhado muitos com pouco, nos últimos anos (foto: fingerhut/Shutterstock)
Jurgen Klopp é o rosto de um Dortmund que tem maravilhado muitos com pouco, nos últimos anos (foto: fingerhut/Shutterstock)

Em todas as décadas ou períodos da história do futebol surgem treinadores e equipas que redefinem conceitos, ideias, filosofias, métodos de treino e tácticas. Uns surgem e esfumam-se em pouco tempo, outros deixam seguidores e formam tendências duradouras, sejam mais ou menos conhecidos do público em geral e do “treinador de bancada”.

Este é o primeiro de uma série de artigos que visam abordar cinco equipas europeias: Borússia Dortmund, Borússia Mongladbach, Liverpool, Barcelona e At. Bilbau. Irão, sobretudo, visar os aspectos tácticos das mesmas, mas também as abordagens dos seus treinadores que, com as suas dinâmicas, trouxeram uma lufada de ar fresco ao futebol dos últimos cinco anos.

O treinador

Os alemães do Borússia de Dortmund têm no comando um dos melhores treinadores da actualidade, Jurgen Klopp, alemão de 47 anos que, após uma experiência de sete anos no Mainz, mudou-se para Dortmund e transformou por completo a equipa. Ao serviço do clube já venceu dois campeonatos nacionais, uma Taça da Alemanha e duas Supertaças. Tudo isto numa equipa que se vê na eterna sombra do gigante Bayern de Munique, que muitas vezes vai às fileiras de Klopp buscar os melhores jogadores, como Götze, Lewandowski, etc..

Trata-se de um treinador adepto de uma proximidade bastante grande com os seus jogadores, como o próprio diz: “Quanto mais te preocupas com a individualidade, mais receberás em troca.” Klopp é muitas vezes visto como um técnico impulsivo e agressivo, mas todos os jogadores parecem ter nele uma confiança sem limites e fazer do seu esforço e persistência em campo uma grande arma.

A mudança

Uma das fantásticas características deste treinador é o facto de apostar sem qualquer medo na academia do Dortmund e nos jogadores mais jovens. Logo na sua primeira temporada retirou a titularidade à dupla composta por Worns e Kovac para lançar Hummels e Subotic, que actualmente são dois dos melhores centrais do Mundo.

O seu outro trunfo é o grande conhecimento táctico – o cognome de “Micro-Tactician” é lhe atribuído devido a, por exemplo, só usar três formações tácticas que partilham em comum da mesma  espinha dorsal, o sistema 1-4-2-3-1. Dependendo das características e fraquezas do seu adversário, Klopp reajusta este sistema base de forma a tirar o melhor partido dos seus jogadores e debilidades dos oponentes.

Analisamos, em seguida, as opções tácticas de Jurgen Klopp.