Análise: Quem foi o goleador europeu mais influente em 2013/14?

Para lá da Bota de Ouro, analisamos em detalhe o desempenho dos cinco melhores goleadores a jogar na Europa.

A análise do desempenho dos cinco goleadores europeus revela muito mais do que apenas os golos que marcaram no decurso da época 2013/14 (fotos: Shutterstock infografia: GoalPoint)
A análise do desempenho dos cinco goleadores europeus revela muito mais do que apenas os golos que marcaram no decurso da época 2013/14 (fotos: Shutterstock infografia: GoalPoint)

Cristiano Ronaldo e Luis Suárez venceram, ex-equo, a Bota de Ouro da UEFA da época 2013/14. Marcaram não só mais golos que a concorrência nas respectivas Ligas domésticas, como beneficiaram também da lógica de coeficiente empregue no cálculo do prémio, que procura traduzir o grau de dificuldade de cada Liga europeia.

Mas para lá desta forma simples e objectiva de determinar os máximos goleadores a jogar no velho continente, decidimos analisar em maior detalhe o desempenho dos cinco mais proeminentes “bombardeiros” em actividade: como marcaram os seus golos? Quais beneficiaram mais de lances de bola parada, e em particular de grandes penalidades, para atingir os números que acumularam? Quais apresentaram melhor aproveitamento dos remates que efectuaram? Quais foram mais influentes no total de golos atingidos pelas suas equipas?

Analisamos então a produção de Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Diego Costa, Zlatan Ibrahimovic e Luis Suárez em busca não só do melhor marcador, mas sobretudo da melhor máquina goleadora da época finda.

Ninguém precisou de tão poucos minutos como CR7

Olhando para os dados mais simples (total de golos, jogos disputados e minutos em campo), sobressai de imediato o rendimento de Cristiano Ronaldo como o jogador que menos minutos por golo apresenta (cerca de 82). No extremo oposto situa-se precisamente o seu adversário no prémio Bota de Ouro, o uruguaio Suárez, com pouco mais de 90 minutos por golo marcado. Ronaldo acaba assim por ser o único dos cinco “cavaleiros do apocalipse” que cumpre a média de um golo por jogo.

Clique na infografia para ler em detalhe (fotos: J. Trindade/Shutterstock infogragria: GoalPoint)
Clique na infografia para ler em detalhe (fotos: J. Trindade/Shutterstock infogragria: GoalPoint)

Suárez marca de todas as formas … menos de grande penalidade

O polémico Suárez sobressai claramente pela riqueza do seu curriculum goleador na época finda. Não só é o único dos cinco “atiradores” que não beneficiou de qualquer golo de grande penalidade como apresenta um registo difícil de equiparar na diversidade como os obteve. Os seus golos foram marcados preferencialmente através de remates de pé direito (65%) disferidos dentro da grande área adversária (77%), mas ainda assim o uruguaio equiparou-se Ronaldo em golos marcados através de livres directos (10%). Para quem privilegia o golo de bola corrida, ninguém esteve melhor que Suárez, que a juntar aos registos referidos foi ainda o que menos golos marcou na sequência de lances de bola parada (16%).

Referimos ainda Diego Costa pelo aproveitamento que faz de ambos os pés: apesar de usar preferencialmente o pé direito na hora de facturar, o novo avançado do Chelsea FC foi o mais produtivo e equilibrado na hora de recorrer à opção mais prática para concretizar: 52% dos seus golos foram marcados com o pé direito e 41% com o esquerdo (os restantes 7% foram finalizados de cabeça).