Análise: Tello com Iturbe no topo das assistências

A Liga dos Campeões vai apenas na segunda jornada, mas um actual e um ex-portista estão no topo das assistências na fase de grupos até ao momento, juntamente com um alemão.

O espanhol aproveitou muito bem os minutos de jogo que teve até agora na Liga dos Campeões (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)
O espanhol aproveitou muito bem os minutos de jogo que teve até agora na Liga dos Campeões (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)

“A ideia é regressar ao Barcelona”, disse recentemente Cristian Tello, extremo do FC Porto emprestado pelo emblema “culé”. Lesões e a tendência vincada de Julen Lopetegui em fazer uma gestão do plantel baseada na rotação de jogadores não permitiu a Tello descansar ainda sob a premissa de estar a agradar ao ser “patrão” da Liga espanhola, mas já começou a dar sinais de querer deixar a sua marca. Resta saber se será o suficiente.

A titularidade não está garantida, ainda não se tornou num jogador fulcral nos “azuis-e-brancos”, mas na Liga dos Campeões o jovem de 23 anos já se pode gabar de alguns números. À segunda jornada, Tello é líder conjunto das assistências para golo na prova, com duas, o mesmo número do ex-portista Juan Iturbe – que teve passagem efémera pelo Dragão -, da AS Roma, e do alemão do Borússia de Dortmund, Kevin Großkreutz.

E também no que toca a oportunidades criadas, o espanhol está bem posicionado. Soma seis no total, contando com as assistências, o que perfaz quatro passes para ocasião. Neste capítulo, e olhando para as equipas lusas na competição, apenas é ultrapassado pelo sportinguista Nani, que soma oito passes para oportunidade (tem um golo e nenhuma assistência) e pelo companheiro de equipa Danilo (sete ocasiões criadas, sendo que uma foi assistência para golo). O ex-colega no Barça, Lionel Messi, em comparação, tem nove oportunidades criadas, sendo que uma foi assistência.

Para além destes números de Tello, há ainda interesse em acompanhar o que o também portista Yacine Brahimi fará no que resta da fase de grupos no que toca a dribles. O argelino soma 14 e é o segundo nesta fase da Liga dos Campeões neste capítulo, sendo apenas ultrapassado por Messi, que tem 16. A diferença, neste caso, é que o argentino tentou 28 e “apenas” completou os tais 16 (57,1%), enquanto o portista tentou 17 e teve sucesso em 82,4%.