O derby lisboeta entre Sporting CP e SL Benfica terminou empatado 1-1, mas não foi parco em emoção, especialmente nos derradeiros minutos. Tudo parecia indicar que se iria registar um nulo; depois o Sporting marcou e, já em compensação, o Benfica chegou a uma igualdade que caiu como gelo sobre os adeptos leoninos.

Os “leões” foram a equipa mais incisiva e que mais procurou o golo, perante um Benfica mais recuado, e essa superioridade dos da casa pode ser observada nos duelos individuais de alguns dos jogadores mais importantes dos dois conjuntos, nos três sectores colectivos. Olhámos para os números dos desempenhos de Jefferson e Maxi Pereira; William Carvalho e Andreas Samaris; André Carrillo e Eduardo Salvio e comparámo-los. As conclusões são óbvias nestes três casos: individualmente, os “leões” estiveram melhor na maioria dos parâmetros, mas o que conta é o resultado final. Confira os comparativos GoalPoint.

Jefferson ofensivo, Maxi escondido

O lateral-esquerdo do Sporting, Jefferson, marcou um golo, no único remate que realizou, e fez um passe para ocasião, frente a um Maxi que quase não teve influência ofensiva no Benfica. O brasileiro esteve também melhor na eficácia de passe, perdeu somente um duelo, e Maxi apenas conseguiu ser superior nas intercepções. Números que encaixam perfeitamente na tendência da partida (as “águias” só atacaram 27% das vezes pela direita).

Na próxima página: William vs. Samaris, duelo de guerreiros