O Benfica joga a terceira jornada do Grupo E da Liga dos Campeões na casa do Ajax, os famosos “lanceiros”, um dos líderes, com quatro pontos, os mesmos que o Bayern e mais um que os “encarnados”. Este será um encontro para fazer recordar alguns embates antigos entre os dois emblemas, mas a História, ao que a este jogo diz respeito, conta pouco ou nada. Em confronto estão duas equipas com semelhante objectivo nesta edição da Champions, ou seja, passar aos oitavos-de-final, mas esta não será tarefa fácil para a formação lusa.

O Ajax está a atravessar um bom período, embora na Eredivisie holandesa não passe do segundo lugar, com dificuldades para contrariar o potencial do PSV Eidhoven. Na Europa, contudo, arrancou um empate 1-1 em casa do Bayern e apresenta um futebol que muitos já consideram o melhor da última década, no que toca ao clube de Amesterdão.

GoalPoint-Bayern-Ajax-Champions-League-201819-90m
O “brilharete” do Ajax em Munique (clique para ampliar)

 

Os números até ao momento na competição ainda não dizem muito, por referirem-se apenas a duas jornadas, mas “desenham” já algumas ideias quanto ao estilo de holandeses e portugueses. Se ambas as equipas apostam num 4-3-3 claro, os modelos que apresentam diferem em diversos aspectos essenciais. O Ajax assenta o seu jogo numa maior circulação da bola, com mais acções, passes, em especial curtos, e uma boa capacidade de drible dos seus executantes. Em suma, um futebol mais rendilhado, de pressão em zonas mais adiantadas, que apanha muitas vezes os adversários em contra-pé.

VariávelAjaxBenfica
Golos43
Golos sofridos14
Remates p/90m15,512,8
Remates cabeça p/90m2,54,1
% Remates enquad. cabeça40%75%
Posse de bola53%42%
Passes477,5411,1
% Eficácia de passe84%79%
Passes finalização p/ 90m11,08,7
Passes final. bola corrida p/ 90m9,05,6
Passes p/ finaliz. área p/90m5,57,2
Passes curtos p/90m162,5124,9
Passes longos p/90m34,544,5
Tentativas drible p/90m21,510,8
% Eficácia de drible51%33%
Cruzamentos bola corrida14,56,7
% Cruzamentos eficazes17%31%
Acções defensivas último 1/3 p/90m8,04,1
Remates permitidos área p/90m6,510,0
% Remates enquad. defendidos75%68%
Foras-de-jogo p/90m4,00,5

Fonte: GoalPoint/Opta

Os números acumulados das primeiras duas jornadas são estes presentes nesta tabela. Um Ajax com bola (53% de posse), confortável no passe, em especial no curto – com segurança (apenas 14,5% falhados) -, registando 6,0 entregas curtas para desmarcação por 90 minutos, contra as 2,6 do Benfica; e os portugueses com uma maior apetência pelo passe longo. Os holandeses mais apoiados, com pressão em zonas adiantadas (oito acções defensivas por 90 minutos no último terço, máximo apenas igualado pelo Lokomotiv de Moscovo, contra as 4,1 dos “encarnados”) e uma maior capacidade no drible, com mais tentativas e superior eficácia (54% no último terço, para os 25% dos benfiquistas).

Estas são as qualidades com que o Benfica terá se deparará e as quais terá de controlar, se quiser tirar algo deste jogo. Ao invés, as “águias” poderão fazer valer a capacidade no jogo aéreo, com muitos remates de cabeça e excelente eficácia – só o Real Madrid, com 5,5 por 90 minutos, remata mais de cabeça que o Benfica, mas ninguém o faz com mais eficácia que os portugueses (75%). Os lances de bola parada poderão ser um recurso valioso para a equipa de Rui Vitória, que também realiza mais passes para finalização na área contrária (7,2) do que os holandeses (5,5).

Em suma, não será desprovido de lógica esperar um Benfica mais na expectativa e a apostar num futebol mais directo, a encurtar espaços nos seu sector mais recuado, na tentativa de anular o ataque de qualidade dos holandeses. Seja como for, a eficácia ofensiva será, certamente, decisiva neste desafio.

GoalPoint-Ajax-AEK Athens-Champions-League-201819-MVP
A grande exibição de Nicolás Tagliafico ante o AEK (clique para ampliar)

Curiosidades históricas

  • Este será o primeiro jogo oficial entre os dois clubes desde as meias-finais da Taça dos Campeões de 1971/72, quando os holandeses ganharam 1-0 em casa antes de empatarem a zero no Estádio da Luz, a caminho da final.
  • O Benfica ganhou o primeiro jogo de sempre com o Ajax, 3-1, em Fevereiro de 1969, mas não voltou a sair por cima nos quatro embates seguintes, com um empate e três desaires.
  • Os clubes portugueses perderam apenas um dos últimos oito jogos com holandeses na Champions – três triunfos e quatro empates, com o Ajax a bater o FC Porto por 2-1 em Setembro de 1998.
  • Após oito derrotas seguidas na competição, o Benfica ganhou o seu último jogo na Liga dos Campeões, tentando agora triunfos consecutivos pela primeira vez desde Novembro de 2016.
  • O Benfica conseguiu manter a sua baliza inviolada apenas uma vez nos seus últimos 14 jogos da Champions fora de casa, tendo sofrido pelo menos dois tentos nos últimos seis.
  • O extremo do Ajax, Hakim Ziyech, está empatado com Lionel Messi no topo dos jogadores com mais remates esta temporada na prova, nada menos que 12. Contudo, o marroquino ainda não marcou.
  • Três dos quatro golos do Ajax na Liga dos Campeões esta época foram marcados por defesas.
  • Haris Seferovic marcou dois dos últimos quatro golos do Benfica na prova.