O FC Porto reencontra o Liverpool pela quarta vez na sua história, com um saldo tudo menos famoso para os “dragões”: duas derrotas e dois empates. O registo histórico vale o que vale, mesmo sabendo que muitos o classificam (erradamente) como “estatística”. Mais do que o passado, é o presente dos “reds” que trará maiores preocupações a Sérgio Conceição e seus comandados na preparação da primeira mão dos oitavos-de-final da Champions 2017/18.

Os motivos para essa preocupação são evidentes. Os “dragões” recebem a segunda equipa mais concretizadora da fase-de-grupos (23 golos, a dois do registo do PSG) e aquela que mais ocasiões flagrantes de golo criou (26, a par do Real Madrid). Alguns dirão que o grupo dos “reds” era dos mais acessíveis, mas desvalorizar os feitos dos homens de Klopp será tudo menos a melhor receita, caso o Porto queira discutir a eliminatória.

Eis os números comparados entre os dois emblemas nas cinco partidas mais recentes a contar para a Champions, que revelam um claro desnível pouco surpreendente:

GoalPoint-Preview-Jornada7-Porto-Liverpool-Champions-League-201718-infog
Clique para ampliar

Deixamos uma curiosidade não referida na infografia a favor dos “dragões”: o Porto foi a equipa a somar mais golos de bola parada (8) na fase-de-grupos da Champions 17/18, um pormenor que ganha ainda maior importância, tendo em conta que dificilmente será pela quantidade de lances perigosos de bola corrida que os “dragões” se poderão superiorizar aos britânicos.

Mas falemos de “mágicos”. O desnível entre o rating de Brahimi e Mohamed Salah é já indicador dos diferentes patamares de produção em que as equipas se colocaram. Mas se lhe dissermos que o egípcio que vai encantando os adeptos ingleses não foi sequer o melhor jogador dos “reds” na fase-de-grupos, a coisa torna-se ainda mais abismal. O melhor atleta do Liverpool foi também o melhor GoalPoint Rating da fase de grupos e o seu nome é Philippe Coutinho. O brasileiro milita agora no Barcelona, logo é menos uma dor de cabeça para os “azuis-e-brancos”, ele que fechou os primeiros seis jogos com um rating médio de… 8.57.

Sobra o já referido Salah, o egípcio que promete amarrar Alex Telles a tarefas mais defensivas, num jogo onde os “dragões” não poderão contar com o brasileiro Felipe para segurar as pontas.

GoalPoint-Yacine_Brahimi_2017_vs_Mohamed_Salah_2017-infog
Clique para ampliar

Não há grande volta a dar: ou os homens de Klopp decidem meter “férias” na visita à cidade Invicta, ou Conceição terá mesmo de lançar um super-Porto em campo, caso queira fazer frente ao poderio inglês que amanhã aterra no Dragão.