2. DE CABEÇA TAMBÉM SE FAZEM GOLOS
Talisca, Ruben Neves e Maicon
(foto: J. Trindade)

Uma das imagens de marca do Benfica de Rui Vitória tem passado pela cabeça dos seus avançados. Os seus jogadores têm sido verdadeiras “águias” na grande área adversária e já totalizam quatro golos através de cabeceamentos, quase um terço do número total.

O FC Porto, pelo contrário, conta apenas com um golo de cabeça. Algo expectável tendo em conta aquilo que Lopetegui pede à sua equipa.

3. GOLOS DE CABEÇA NÃO SÃO OBRA DO ACASO
Rúben e Gaitán
(foto: J. Trindade)

Feitas as contas, podemos afirmar que o SL Benfica, nas quatro jornadas já decorridas, conta com um total de 144 cruzamentos. Desse enorme número , 100 deles foram realizados através de jogadas de bola corrida, o que perfaz uma média de 25 cruzamentos de bola corrida a cada 90 minutos, e uma eficácia de 27%.

O contraste com os “dragões” é gritante, uma vez que estes apresentam apenas um total de 54 cruzamentos para a área no mesmo número de jogos. Desses 12 foram realizados através de jogadas de bola corrida, o que resulta numa média de 9,5 cruzamentos deste tipo por jogo e uma eficácia que se fica pelos 13,2%.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: CUIDADO COM OS CANTOS