8. FC PORTO PASSA MAIS, MAS É MENOS EFICAZ
Jardel-e-Evandro
(foto: J. Trindade)

O futebol de posse tem dado os seus frutos, com o FC Porto a ser dono de uma média considerável de 565 passes por jogo. Já a formação orientada por Rui Vitória não anda longe dos números rivais ao conseguir uma média de 544.

Já no que diz respeito à eficácia de passe, a equipa da Luz tem demonstrado mais acerto, com 84,6% dos passes certos. O FC Porto apresenta uma eficácia de 83,7%, um número bem menor do que aquele que patenteava na época passada e onde Óliver era predominante.

9. “ÁGUIAS” CRIAM, “DRAGÕES”APROVEITAM
Clássico Porto vs Benfica 2015/16 - Jonas vs Aboubakar
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O SL Benfica costuma passar mais vezes para o último terço e com maior eficácia, sendo capaz de criar mais oportunidades. O conjunto “encarnado” tem uma média de 156 passes realizados, por jogo, para o último terço e uma percentagem de acerto de 73%. Para além disso, costuma realizar 19 passes para ocasião a cada 90 minutos mas apenas aproveita 14%.

Os rivais “azuis-e-brancos” possuem 146 passes realizados, por jogo, para o último terço e com um acerto menor, de apenas 69,5%. Para além disso, realizam também menos passes para ocasião (12) mas conseguem aproveitar 15%.

10. MURALHA “AZUL-E-BRANCA”
Maicon
(foto: J. Trindade)

Com uma média de 7,5 remates permitidos a cada 90 minutos, a formação orientada por Lopetegui apresenta-se bastante mais permissiva com as equipas adversárias. Curiosamente, nos quatro jogos realizados, o FC Porto apenas permitiu uma média de dois remates enquadrados com a baliza, sendo que apresenta uma percentagem de 23% de eficácia no bloqueio de remates.

Já o SL Benfica apenas permitiu uma média de 5,8 remates a cada 90 minutos. Contudo, a média de disparos enquadrados com a baliza de Júlio César é maior (2,8) e a percentagem de eficácia no bloqueio de remates é de apenas 8,7%. É caso para dizer que a muralha “azul-e-branca” é mesmo uma realidade.