O FC Porto, um dos líderes do Grupo D da Liga dos Campeões, com quatro pontos, entra em campo esta quarta-feira, no terreno do Lokomotiv de Moscovo, último classificado só com derrotas e sem qualquer golo marcado. À partida, a equipa onde jogam Manuel Fernandes e Éder é um adversário perfeitamente ao alcance do FC Porto, e os dados que saíram das duas primeiras rondas apontam para isso mesmo. Os “dragões” surgem como favoritos em termos teóricos, mas terão de fazer valer em campo as superiores qualidades do seu colectivo.

Os portistas surgem como uma equipa mais competente em diversas vertentes, com especial incidência na eficácia nos momentos de finalização. Essa é a principal conclusão que se tira dos números que pode consultar na tabela abaixo. Isto apesar de os russos apresentarem estatísticas interessantes no capítulo do passe, em comparação com os portugueses. Porém, a acrescentar à fraca pontaria dos seus jogadores, os moscovitas também mostram algumas fragilidades defensivas que podem ser exploradas pelos “dragões”. Se a equipa de Sérgio Conceição for eficaz q.b. nos momentos ofensivos, terá grandes probabilidades de fazer a longa viagem de volta para Portugal com um resultado positivo no bolso.

GoalPoint-Galatasaray-Lokomotiv-Champions-League-201819-90m
A pesada derrota do Lokomotiv na Turquia, ante o Galatasaray (clique para ampliar)

 

Os “azuis-e-brancos” até estão habituados a alguns brilharetes fora de casa, como aconteceu, por exemplo, na época passada no Mónaco, por isso, “basta” ultrapassar o factor-casa que protege o Lokomotiv e mostrar o futebol personalizado que caracteriza os campeões nacionais.

VariávelLokomotiv M.FC Porto
Golos02
Golos sofridos41
Remates p/90m13,013,5
Remates enquadrados2,05,0
% Remates convertidos0,0%7,4%
Remates área bola corrida p/90m7,08,5
% Remates enquad. área bola corrida21%41%
Posse de bola51%56%
Passes p/90m432,5399,5
% Eficácia de passe77%79%
Passes finalização p/ 90m9,58,5
Passes final. bola corrida p/ 90m6,56,0
Passes p/ finaliz. área p/90m5,57,0
Passes curtos p/90m161.5101.5
Passes longos p/90m48,049,5
Tentativas drible p/90m15,018,5
% Eficácia de drible47%35%
Cruzamentos bola corrida p/90m9,511,5
% Cruzamentos eficazes5%26%
Acções defensivas último 1/3 p/90m8,03,5
Dribles consentidos8,52,0
% Desarmes falhados30%12%
Duelos aéreos defensivos p/90m23,526,0
% Duelos aéreos def. ganhos45%64%
Defesas p/90m4,52,0
% Remates enquad. defendidos69%80%

Fonte: GoalPoint/Opta

Como referimos anteriormente, são várias as fragilidades russas que saltam à vista, tendo em conta as duas primeiras jornadas desta edição da Liga dos Campeões. Se os russos realizam mais ou menos o mesmo número de remates por 90 minutos que o Porto, certo é que ainda não fizeram qualquer golo. A conversão nula desses disparos deve-se em grande medida aos poucos remates enquadrados que realizam, nada menos que dois por 90 minutos, contra os cinco dos portistas. Até os que realizam dentro da área raramente levam boa direcção, com apenas 21% de eficácia.

Com um registo superior no número de passes, a eficácia de 77% nas entregas revelam alguma dificuldade neste capítulo a este nível – pior ainda se atentarmos ao facto de muitos (161,5) serem curtos. Apesar de o Lokomotiv realizar até mais passes para finalização por 90 minutos que o Porto, fá-lo com menos frequência na grande área contrária do que os portugueses, demonstrativo de algumas dificuldades de penetração nas defesas contrárias. A eficácia de drible da equipa da casa é um dos seus pontos fortes, mas falta objectividade para concluir esses lances da melhor forma junto à baliza contrária, pelo exposto anteriormente. E até a eficácia de cruzamento, de apenas 5%, deixa muito a desejar para uma equipa que quer vingar a este nível.

Defensivamente, o FC Porto surge bem mais consistente, com menos de metade da percentagem de desarmes falhados, muito menos dribles consentidos (2,0 o Porto, 8,5 o Lokomotiv) e muito maior eficácia nos duelos aéreos defensivos. E até na baliza, Iker Casillas tem dado muito melhor conta de sim, com 80% de remates enquadrados defendidos. Os russos destacam-se na pressão em zonas adiantadas do terreno, com uma média oito acções defensivas no último terço, algo com que os portistas terão de saber lidar.

GoalPoint-Schalke-Porto-Champions-League-201819-MVP
Felipe foi o jogador a arrancar o “rating” mais elevado nestas duas jornadas, entre as duas equipas (clique para ampliar)

 

Estes são números que mostram superioridade do Porto em praticamente todos os sectores do terreno. A visita a Moscovo não será, certamente, fácil, mas os dados apontam para um “dragão” melhor e com todas as possibilidades de somar pontos.

Curiosidades históricas

  • Este será o primeiro jogo oficial de sempre entre Lokomotiv e FC Porto.
    Os moscovitas perderam quatro dos seis anteriores embates com emblemas lusos nas provas europeias (venceram duas vezes) e sofreram sempre golos.
  • Após ganhar seis e empatar dois dos primeiros oito jogos europeus com clubes russos, o FC Porto não conseguiu sair por cima nos últimos quatro compromissos (dois empates e duas derrotas). O embate mais recente foi com o Zenit, na fase de grupos da Liga dos Campeões de 2013/14 (um empate e uma derrota).
  • O Lokomotiv perdeu os últimos quatro jogos em grandes competições europeias (excluindo fases de qualificação). No passado, apenas uma vez a equipa atravessou uma fase tão longa de desaires (cinco jogos em 2003).
  • O Porto não perdeu nos últimos três jogos da Champions League (um triunfo e dois empates). Os “dragões” poderão somar dois triunfos seguidos na prova pela primeira vez desde Novembro de 2016.
  • Contudo, os “azuis-e-brancos” não ganharam nenhum dos últimos quatro compromissos fora de casa na Champions League (três empates e uma derrota).
  • O Lokomotiv ainda não marcou qualquer golo na actual Liga dos Campeões. Apenas uma formação russa ficou em branco nos primeiros três jogos na competição, o Spartak de Moscovo, em 2002/03.
  • Vinte e três dos últimos 24 golos do Porto na Champions aconteceram após remates de dentro da área, sendo a excepção o tento de Alex Telles frente ao Mónaco, em Dezembro de 2017.
  • Os últimos seis golos portistas na Liga dos Campeões foram apontados por jogadores diferentes: Aboubakar, Brahimi, Telles, Soares, Otávio e Marega.