Não é (infelizmente) todas as épocas que dois “grandes” se defrontam cinco vezes por estas paragens. Sporting e Porto terminam esta semana a sua “saga” 2017/18, com a disputa da segunda mão da meia-final da Taça de Portugal – os portistas visitam Alvalade com uma (curta?) vantagem de 1-0.

Tira-teimas em Alvalade

No plano estatístico, o jogo desta quarta-feira fecha não só um ciclo como poderá servir de “tira-teimas” no confronto entre Jorge Jesus e Sérgio Conceição na época em curso. Em quatro jogos o “dragão” soma duas vitórias no tempo regulamentar, contra uma do “leão” obtida nas grandes penalidades.

Os duelos entre portistas e “verde-e-brancos” não têm rendido muitos golos, mas há algo que não falta nestas partidas: faltas, muitas faltas. Cada “clássico” entre os dois emblemas tem rendido a pouco notável média de cerca de 42 faltas, com os nortenhos a somarem 86 infracções contra 81 dos lisboetas, em quatro jogos disputados. Mas vejamos os outros números que marcam o balanço do duelo até ao momento:

GoalPoint-Balanco-Porto-Sporting-201718-Abril-infog
Clique para ampliar

A vantagem é, neste momento, “azul-e-branca”, mas Jorge Jesus tem na mão não só a possibilidade de igualar a “parada” como fechar o ciclo com duas vitórias das que terão aberto as portas à discussão de títulos. Resta saber se Sérgio Conceição estará pelos ajustes, agora que reassumiu a liderança da Liga, e pode assim garantir a possibilidade de conquistar a “dobradinha”.

E como estão os números dos rivais? Eis o que produziram nos últimos cinco jogos que disputaram na Liga NOS, o barómetro mais fidedigno do desempenho de curto prazo de ambos os emblemas:

GoalPoint-Sporting-Porto-Taca-de-Portugal-21718-antevisao-infog
Clique para ampliar

A vantagem quantitativa é quase toda dos portistas, mesmo tendo em conta que os números incluem a última deslocação ao Estádio da Luz, mas também convém recordar que os “leões” tiveram uma não menos atribulada visita a Braga, no ciclo em análise. Se somarmos aos números o facto de, em teoria, os “leões” se apresentarem mais desgastados fisicamente, a tarefa para os comandados de Jorge Jesus apresenta-se complicada, mas… um golo é um golo e basta ao Sporting marcar um para igualar a discussão do bilhete de acesso a um troféu. Que vença o melhor e, se possível…, com menos faltas do que é habitual.