Viggo Mortensen, o actor famoso pela trilogia “O Senhor dos Anéis” e filmes como “A Estrada” e “Uma História de Violência” entre outros é um conhecido adepto do futebol, torcendo sobretudo pelo San Lorenzo (Argentina) e pelo Real Madrid.

“Bom, há um personagem real que odeio mas que considero divertida – José Mourinho, o treinador do Chelsea.”

Não sendo a primeira vez que “Aragorn” (a personagem que o celebrizou nos filmes de Peter Jackson) verbaliza a sua falta de empatia para com o “Special One”, Viggo voltou a tecer considerações pouco elogiosas sobre o treinador português, embora reconheça que José Mourinho também o diverte com o seu estilo truculento.

Viggo Mortensen numa homenagem prestada pelo San Lorenzo.
Viggo Mortensen numa homenagem prestada pelo San Lorenzo.

Eis as declarações de Mortensen sobre Mourinho, parte de uma entrevista que deu ao site norte-americano Grantland:

“Bom, há um personagem real que odeio mas que considero divertida – José Mourinho, o treinador do Chelsea.

Gosto do Real Madrid e quando Mourinho treinou a equipa basicamente destruiu-a psicologicamente.

Os danos que ele provocou nos adeptos e toda a estrutura do clube vão perdurar por mais algum tempo. Ele disputou recentemente um jogo na Liga dos Campeões contra o Paris Saint-Germain. Era o segundo jogo e o Chelsea tinha a vantagem de ter marcado um golo fora no primeiro encontro e era improvável as coisas correrem bem ao PSG.

A meio da primeira parte o PSG sofreu uma expulsão injusta, tendo que jogar com 10 contra 11, o Chelsea devia tê-los esmagado.

Mas acabaram por ser uns 120 minutos épicos, com reviravolta após reviravolta, e apesar do PSG jogar em desvantagem numérica continuaram a jogar um futebol bonito e puro enquanto o Chelsea jogava apenas para não perder.

Nos últimos minutos do tempo regulamentar o PSG empatou e nos instantes finais do prolongamento empataram novamente. Como tinham mais golos fora marcados acabaram por passar a eliminatória. Foi espectacular, dramático. Foi quase como ver um filme.”

Confira a entrevista completa no Grantland.