Ezequiel Barco
Independiente

GoalPoint-Scouting-Argentina-2017-Ezequiel-Barco-2-infog

É o benjamim desta lista e um dos mais entusiasmantes. Ezequiel Barco completou 18 anos apenas no passado mês de Março, já é titular da selecção Sub-20 e jogou todos os jogos do Independiente no último campeonato.

A maneira como transporta a bola em aceleração constante e vai dizimando adversários com fintas curtas já lhe valeu comparações invejáveis com outro craque argentino e, salvaguardando as devidas distâncias, as comparações não são descabidas. Ao contrário de Messi, Barco é destro, mas também tende a partir do flanco oposto, de onde flecte para dentro ou cruza, quase na mesma proporção. Se a qualidade de remate ainda não está bem afinada (apenas 9% dos disparos de fora da área foram à baliza), nos cruzamentos Barco já apresenta uma assinalável eficácia de 33%, que muito contribuem para as 1,9 ocasiões de remate que cria a cada jogo.

No entanto, a estatística mais impressionante de “El Demonio” talvez seja a sua eficácia de passe. Numa idade em que seriam de esperar muitas perdas de bola, só um jogador em todo o campeonato apresenta melhor precisão de passe que Barco no último terço do terreno (77%), e se olharmos a todo o campo, a mesma sobe para 82%.

Já foi comentado o interesse do Benfica na sua contratação.

Emanuel Reynoso
Talleres

GoalPoint-Scouting-Argentina-2017-Emanuel-Reynoso-2-infog

Outro jogador sobre o qual se comenta o interesse da “águia”. Emanuel “Bebelo” Reynoso veste a camisola 10 do modesto Talleres e foi uma das grandes revelações do último campeonato argentino.

A ainda curta história de Reynoso podia tê-lo sido ainda mais, visto que a sua carreira esteve ameaçada por um tiro que levou num joelho, quando ainda tinha 18 anos, mas a perseverança de Emanuel em singrar no futebol acabaria por vencer.

Médio tanto de transporte como de passe, Reynoso tem qualidades que podem fazer dele um bom “número 8” a nível europeu, e terminou a época no topo de diversas variáveis importantes. Para começar, mesmo jogando num clube que terminou o campeonato a meio da tabela, Reynoso foi o quinto com mais acções com bola (86) por 90 minutos em todo o campeonato. Isto revela bem a maneira como Reynoso enche o campo, fazendo de tudo um pouco, a atacar e a defender. Foi o segundo jogador com mais disparos de fora da área (1,9) a cada jogo, enquadrando com a baliza 24% dos mesmos, sendo que de todos os remates que enquadrou com a baliza 83% foram colocados nos cantos superiores ou inferiores.

A assistir, Reynoso foi o sexto que mais ocasiões de bola corrida criou, e passou com uma eficácia média de 80%. Mas é também pela fantasia individual que Reynoso brilha. Atipicamente para um médio, ficou no “top-10″ de melhores dribladores do campeonato, concretizando 54% das suas 4,9 tentativas médias. Para um jogador com tão boa relação com a bola e com a baliza, seria de esperar que o momento defensivo se ressentisse, mas Reynoso apresenta ainda uma média de 3,2 desarmes por jogo e 7,9 recuperações de posse. Parece que custa cerca de €5M, o que seria uma pechincha.

Gonzalo Martínez
River Plate

GoalPoint-Scouting-Argentina-2017-Gonzalo-Martinez-2-infog

Terminamos com “Pity” Martínez a lista dos cinco craques que já foram falados para jogar nos grandes. Este extremo do River é, ao que tudo indica, um dos grandes alvos do Sporting, e a época que fez justifica plenamente o interesse.

Pity é um extremo esquerdino já com muitos jogos de primeira divisão nas pernas e tem a vantagem de, ao contrário dos outros, já jogar num dos maiores clubes argentinos. A sua principal qualidade é o drible, conseguindo uma média de três eficazes a cada jogo, com uma percentagem de acerto de 54%, mas Pity é ainda muito forte ao nível do remate, sobretudo de fora da área, tendo a curiosidade de ter terminado o campeonato com quatro bolas aos ferros, para além das sete que entraram.

Ao contrário de Acuña, que se assemelha mais a Bryan Ruiz ou Gaitán, Martínez é mais parecido (até no apelido) com Gelson Martins, e não seria de espantar que a sua vinda seja já para acautelar uma eventual saída do português. Por tudo o que já dissemos e pelo que pode ver no vídeo, os “leões” não ficariam a perder.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: UM CENTRALÃO GOLEADOR