Segunda jornada verdadeiramente desastrosa para os “três grandes”, muito em particular para o SL Benfica. Depois dos empates de Sporting CP e FC Porto, o campeão nacional perdeu por 1-0 na visita ao FC Arouca, com o golo a ser apontado logo aos dois minutos, dando assim uma inesperada faceta positiva aos resultados dos rivais. Apesar do intenso domínio ao longo de todo o encontro a partir daqui, a “águia” foi incapaz de vergar um soberbo Rafael Bracalli, apesar da quantidade generosa de remates efectuados.

Liga NOS 2015/16: FC Arouca vs SL Benfica, Jornada 2 - Onzes
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

No final ficou a ideia de um Benfica superior, mas sem um fio condutor no seu jogo que permitisse desfazer a férrea organização defensiva do Arouca. Atacar muito, em catadupa, em avalanche, com cruzamentos sem parar (38 cruzamentos de bola corrida), nem sempre se traduz em resultados, e foi isso que aconteceu.

Rui Vitória não quis inventar, diga-se. Apresentou um “onze” muito perto do que o Benfica usou regularmente na época passada, com Samaris e Pizzi de regresso ao “miolo”. A ideia seria, certamente, aproveitar esses mecanismos, e de certa forma resultou, porque o domínio territorial dos lisboetas foi total. Faltou o resto.

ENTRAR A PERDER

A perder logo aos dois minutos destrói qualquer estratégia inicial. Roberto recebeu um passe de David Simão entre Luisão e Nélson Semedo e não teve problemas em bater Júlio César, no primeiro remate. Ainda assim, o Benfica não mudou a sua ideia de jogo, com futebol pressionante e dominador, muito consentido, porém, pelo Arouca, que se contentou nos primeiros 45 minutos a 25,8% de posse de bola, para 74,2% das “águias”. O problema visitante, contudo, foi que o Arouca sentia-se confortável a defender. Ao invés de um Benfica de combinações ao primeiro e segundo toque que desfazia defesas nas épocas anteriores, desta feita viu-se uma equipa de rasgos individuais, transporte de bola e procura de colegas para fazer o passe, que por vezes não saía ou era interceptado. E quando a equipa conseguia furar, tinha um último obstáculo verdadeiramente inspirado.

Liga NOS 2015/16: FC Arouca vs SL Benfica, Jornada 2 - 1º Tempo
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O Benfica arrancou 15 remates na primeira parte, mas apenas seis enquadrados, obrigado a disparar seis vezes de fora da área. Rafael Bracalli foi, em última instância, verdadeiramente intransponível, realizando cinco defesas nesta fase,  algumas delas de qualidade para negar o golo a Jonas (2 remates), Mitroglu (3) e Pizzi (4 tiros, 3 enquadrados).

PRÓXIMA PÁGINA > ATAQUE TOTAL: O SEGUNDO TEMPO, RESUMO E O HOMEM DO JOGO