Regressamos à análise mensal que temos efectuado em parceria com a Global Soccer Network, empresa germânica especializada no rating ponderado de jogadores profissionais de futebol, para actualizar o top-10 das melhores transferências (aquisições) realizadas pelos clubes da Liga NOS até agora, a poucas horas do pontapé de saída da edição 2015/16.

Conforme explicado nas duas edições anteriores deste ranking a hierarquia das aquisições apresentadas assenta no Index GSN, um índice no qual a Global Soccer Network pondera variáveis como o desempenho estatístico, o grau de dificuldade e relevância dos jogos oficiais até hoje realizados, o potencial estimado e ainda uma avaliação quantitativa das características do jogador de modo a obter uma pontuação final para cada atleta.

Ranking GSN/GoalPoint: As 10 melhores transferências da Liga NOS 15/16 a 13 de Agosto de 2015
Clique na infografia para ampilar (infografia: GoalPoint/GSN)

A LEI DA EXPERIÊNCIA A “CUSTO ZERO”

À medida que o mercado se aproxima da sua conclusão e com cerca de 15 dias para o fecho este top 10 vai ganhando uma forma cada vez mais prevísível, mas ainda assim há espaço para nomes e tendências surpreendentes ou inovadoras face a outros “mercados” dos clubes portugueses, em particular Benfica, Porto e Sporting.

No que toca a tendências, e tendo em conta que este top é dominado predominantemente pelos “dragões”, sobressai a aposta clara na experiência, com os 10 melhores classificados a registarem uma média etária de 29 anos. A esta opção soma-se a predominância de aquisições a “custo zero”, com apenas duas contratações “leoninas” a incluirem um pagamento da chamada transfer fee, Bryan Ruiz e Teo Gutiérrez, este último um dos poucos negócios em que os clubes portugueses pagaram um valor acima do valor de mercado atribuído ao jogador (Transfermarkt).

SURPRESAS NOS NOMES

No que toca aos nomes alguns surpreenderão o leitor pela presença, outros pela ausência. O facto de Adel Taarabt surgir neste top 10 quando já começa a levantar (legítimas) dúvidas pode parecer estranho mas a verdade é que, mais do que jogar mal, o marroquino… não jogou, o que resume bem o seu problema, que não é tanto de qualidade ou de elevado potencial (já demonstrado, sobretudo na Premier, em tempos cada vez mais distantes) mas sim de conduta. No que toca a ausências, nomes como Imbula, a mais cara contratação de sempre do futebol português e de Raúl Jiménez podem cauar admiração mas não muita: ambos surgem na 11ª e 13ª posição respectivamente, com valores de GSN Index muito próximos de Maxi Pereira, o jogador que encerra este top.

Voltaremos ao GSN Index após o fecho de mercado, revelando nessa altura uma classificação mais extensa de todas as contratações mais relevantes da Liga NOS com base nesta métrica.