[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Aves-Porto-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Aves-Porto-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Aves-Porto-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O FC Porto entrou em 2019 com um triunfo suado na deslocação à Vila das Aves, vencendo apenas por 1-0, numa partida que claramente valeu mais pelo resultado do que pela exibição. A equipa portista até entrou bem no desafio, chegando com naturalidade ao golo, mas regressou dos balneários completamente descaracterizada, não fazendo um único remate à baliza no segundo tempo e acabando por respirar de alívio quando o árbitro soou o apito final.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Claro sinal mais para a equipa do FC Porto na etapa inicial da partida. Os “dragões” dispuseram da única ocasião de golo nos primeiros 20 minutos, um remate de Soares que Beunardeau travou com dificuldade, com Marega a rematar ao poste na recarga. Os “azuis-e-brancos” chegaram ao final deste período com 69% de posse e 82% de eficácia de passe (contra 61% do adversário).
  • O FC Porto acabou por traduzir a sua superioridade em vantagem aos 25 minutos, num lance de insistência após um canto da direita, com Éder Militão a surgir na cara de Beunardeau para atirar rasteiro para o fundo das redes, apontando o seu primeiro golo no campeonato.

  • Maxi Pereira mal se viu em campo nos primeiros 30 minutos do desafio, contabilizando sete acções com bola e quatro passes (ambos mínimos da equipa), zero acções defensivas e dois duelos disputados, ambos perdidos.
  • O Aves chegou aos 40 minutos com apenas quatro acções com bola na área contrária. Curiosamente nenhuma delas pertenceu aos seus homens da frente, Amilton, Derley e Mama Baldé, mas sim ao central Jorge Felipe e ao médio Rúben Oliveira.

  • Intervalo Vantagem justa da equipa do FC Porto, numa primeira parte de sentido único e dominada pelos visitantes, que até chegaram ao 2-0 por Danilo, num lance que, contudo, acabou anulado por fora-de-jogo do médio português. A equipa avense demonstrou grandes dificuldades para sair a jogar, conseguindo, ainda assim, pôr à prova Iker Casillas uma vez, num disparo de Rodrigo Soares. Éder Militão, o autor do único tento do primeiro tempo, surgia na liderança dos  GoalPoint Ratings, com nota 6.6, juntando ao disparo certeiro, dois passes longos certos para o último terço, dois alívios, 42 acções com bola e quatro recuperações.

  • Bom início de segunda parte do Aves, que nos primeiros 15 minutos dominou a posse de bola (63%-37%) e até foi mais eficaz no passe (76%-71%), não conseguindo, contudo, criar perigo junto da baliza de Casillas.
  • Alex Telles chegou aos 65 minutos com três passes para finalização – tantos quanto os restantes jogadores em campo. O lateral-esquerdo portista dava nas vistas com três cruzamentos eficazes, mais dois do que a equipa do Aves inteira, e quatro duelos ganhos em seis.

  • Não houve qualquer remate enquadrado durante a primeira meia-hora da segunda parte. O FC Porto limitava-se a gerir a vantagem, apresentando apenas 46% de posse de bola, sendo que Marega e Soares não sabiam o que era rematar desde o minuto 20 do desafio.
  • À entrada para os últimos dez minutos, o FC Porto apresentava apenas 73% de eficácia de passe. Herrera era o jogador em campo mais esclarecido, com 76,7% de acerto nas entregas no meio-campo adversário, enquanto jogadores como Danilo Pereira e Corona mostravam uma surpreendente baixa eficácia (56% e 65%, respectivamente).

  • O primeiro disparo enquadrado do segundo tempo surgiu já no período de compensação, num remate de Nildo Petrolina a passe de Rodrigo Soares, que igualava Alex Telles na lista de jogadores com mais passes para finalização. No último sopro, Nildo Petrolina ainda assustou Casillas num livre directo, mas a bola acabou por embater com estrondo na barra.

O Homem do Jogo 👑

O lateral-direito do Aves, Rodrigo Soares, protagonizou uma segunda parte de grande nível, chegando ao final do desafio com três passes para finalização, liderando este dado com Alex Telles, e com quatro dribles eficazes em quatro tentativas, superando o portista Brahimi, que precisou de mais cinco tentativas para conseguir os mesmos quatro dribles. O jogador brasileiro, que até passou pela equipa B dos “dragões”, deu ainda nas vistas a defender, com dois desarmes, uma intercepção e três alívios, terminando o desafio com nota 7.0 nos  GoalPoint Ratings.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Éder Militão 6.8 – Foi decisivo ao marcar o golo que carimbou os três pontos para a sua equipa, num dos três remates que fez. Somou oito alívios e disputou quatro duelos aéreos defensivos, perdendo apenas um.
  • Danilo Pereira 6.0 – Noite de contrastes para o médio português, que recuperou 13 vezes a bola mas falhou 18 passes, ambos máximos desta partida. Dos seus oito passes longos, apenas dois tiveram a melhor direcção.
  • Soares 5.1 – Desperdiçou duas ocasiões flagrantes, permitindo, em ambos os casos, a defesa ao guarda-redes avense. Disputou quatro duelos aéreos, vencendo apenas um, e foi desarmado em três ocasiões.
  • Maxi Pereira 4.8 – Contabilizou apenas 25 acções com bola e apenas duas acções defensivas. Conseguiu o máximo da noite de passes longos certos para o último terço (três).
  • Vítor Gomes 4.1 – O experiente médio teve a nota mais baixa da noite. Falhou 13 passes, nove deles no seu próprio meio-campo, e consentiu dois dribles. Pela positiva, recuperou a bola 11 vezes.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner