GoalPoint-Aves-Sporting-Liga-NOS-201920-Ratings
Clique para ampliar

OSporting regressou aos triunfos no campeonato, após duas derrotas e um empate, ao vencer o “lanterna vermelha” Desportivo das Aves, por 1-0 (o sexto resultado por estes números da jornada). Na estreia de Silas no comando técnico dos “leões”, o herói da noite acabou por ser o suspeito do costume, Bruno Fernandes, que marcou o golo da vitória já perto do fim, de grande penalidade, após mais de 80 minutos de raríssimos rasgos de brilhantismo, como comprova o facto de, dos 22 remates efectuados na partida, apenas cinco terem sido enquadrados com as balizas.

Resumo 📺

O jogo explicado em números 📊

  • Início de partida com domínio intenso por parte do Sporting, que teve uns impressionantes 76% de posse de bola e acertou 87% dos seus passes no primeiro quarto-de-hora, mas sem conseguir criar qualquer qualquer ocasião de golo. Mesmo com pouca bola, o Aves causou verdadeiros calafrios junto da baliza de Renan Ribeiro e só não marcou ao quarto minuto porque a barra negou o remate de Rubén Oliveira.

  • Volvidos 25 minutos desde o início da partida, três jogadores do Sporting ainda não tinham errado um único passe: Renan Ribeiro, Borja e Coates. Curiosamente, Bruno Fernandes era até então o jogador dos “leões” com menor acerto de passe (eficácia de apenas 70%). O médio português dava também nas vistas pela negativa ao liderar a lista de perdas de posse, com nove, mais quatro do que qualquer outro jogador da sua equipa.
  • À passagem da meia-hora, o Sporting levava já três remates, todos eles a passe de Bruno Fernandes. Os homens de Silas continuavam a dominar a posse de bola a seu bel-prazer (73%) e a sobrepor-se ao adversário nas disputas, com 63% de duelos ganhos até então.

  • Pouco envolvimento de Jesé durante os primeiros 40 minutos do desafio. O avançado espanhol não fizera nenhum remate nem qualquer acção defensiva, era o jogador de campo dos “leões” com menos acções com bola (16) e passes (12) e somava apenas três duelos disputados – só Bolasie e Mathieu tinham menos.
  • Intervalo Primeira parte de domínio claro do Sporting sem que, no entanto, a equipa visitante tenha conseguido daí tirar algum proveito. Mesmo tendo feito apenas metade dos remates do adversário (4-8), o Aves conseguiu criar tanto perigo quanto o Sporting, com ambas as equipas a somarem um remate à barra. De salientar a falta de inspiração na hora de rematar por parte das duas formações, que só conseguiram enquadrar um quarto dos remates realizados no decorrer da primeira parte. Ao soar do apito do árbitro, Eduardo Henrique liderava os GoalPoint Ratings, com nota 6.5. Além do remate ao ferro, o médio brasileiro levava seis passes progressivos certos, um drible eficaz, três recuperações de posse e uma falta sofrida em zona de perigo.

  • O primeiro quarto-de-hora da segunda parte ficou marcado pelo desacerto de ambas as equipas. O Aves ganhou fôlego com o intervalo e até esteve perto de marcar, chegando ao minuto 60 com 47% de posse – uma enorme diferença em relação ao primeiro tempo. O Sporting começava a deparar-se com mais espaços no meio-campo contrário, mas teimava em não conseguir encontrar o caminho da baliza.
  • Bom jogo de Cláudio Falcão, um dos homens em destaque na equipa do Aves. Aos 70 minutos, o brasileiro somava sete intercepções, três roubos de bola, cinco recuperações de posse e um duelo aéreo ganho, contribuindo para manter o perigo longe da baliza de Beunardeau, que não efectuava nenhuma defesa desde o minuto 42.

  • O Sporting chegou ao minuto 80 sem um único remate enquadrado após seis tentativas. Crescia a frustração entre os adeptos dos “leões” presentes nas bancadas, mas foi então que “caiu do céu” uma grande penalidade para os visitantes, após falta cometida sobre Bolasie. Na conversão da marca de 11 metros, Bruno Fernandes não desperdiçou e fez o golo, o seu quarto da temporada no campeonato.

O melhor em campo GoalPoint👑

Não foi a exibição mais vistosa, mas nem por isso Bruno Fernandes deixou de ser decisivo. O médio português desde cedo assumiu as despesas do ataque, contabilizando cinco passes para finalização, e ainda fez o golo que deu a vitória no único disparo enquadrado da sua autoria. Para além disso, Bruno Fernandes somou 106 acções com bola, três dribles eficazes, 13 recuperações de posse, três bloqueios de passe e quatro faltas sofridas, duas delas em zona de perigo, terminando o desafio com nota 8.0 nos GoalPoint Ratings.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Coates 7.0 – O uruguaio regressou às boas exibições. Errou apenas seis passes em 58 tentativas, acertou nove passes progressivos, perdeu apenas um duelo aéreo defensivo em cinco e somou dez acções defensivas.
  • Falcão 6.3 – O brasileiro foi de longe o melhor da sua equipa. Acertou seis dos 13 passes longos que fez e ninguém efectuou tantas intercepções (sete) nem alívios (seis) como ele.
  • Bolasie 5.6 – Deu nas vistas com três dribles eficazes no último terço e a grande penalidade sofrida, mas esteve desastrado ao dominar a bola (oito maus controlos) e na hora de rematar, com três disparos desenquadrados.
  • Jesé Rodríguez 5.5 – Inconsequente no ataque leonino, o espanhol não fez nenhum remate e criou apenas uma ocasião de perigo. Das três tentativas de drible, duas foram eficazes.
  • Luiz Phellype 4.6 – O brasileiro teve a nota mais baixa de entre os jogadores do Sporting, muito por culpa dos quatro desarmes sofridos – o máximo da noite. Consentiu ainda dois dribles.